(Solidariedade) Anarquistas brasileiros apoiam greve dos rodoviários de Porto Alegre


rodoviários

Apesar de declarada ilegal pelo Tribunal de Trabalho, a greve dos trabalhadores rodoviários de Porto Alegre, no Brasil,  entrou hoje no seu quarto dia, afectando mais de um milhão de pessoas. É um protesto que se junta a outros do movimento passe livre, por transportes de qualidade e sem custos para quem trabalha. A Federação Anarquista Gaúcha solidariza-se com esta greve, que é mais um sinal de que o protesto popular se vai manter durante este novo ano.

NOTA CONJUNTA DO BLOCO DE LUTA E DO COMANDO DE GREVE DOS RODOVIÁRIOS

O BLOCO DE LUTA PELO TRANSPORTE PÚBLICO e o COMANDO DE GREVE DOS RODOVIÁRIOS estão juntos na luta por um novo modelo de transporte na cidade. Desde o início de 2013, o Bloco vem construindo uma aliança com os rodoviários, e agora, na primeira grande greve de 2014, reforçamos nossa unidade.

– Por aumento de salário, redução da jornada e melhores condições de trabalho sem reajuste da passagem: que os 14% de aumento reivindicado pelos rodoviários saiam do lucro abusivo dos empresários. Ao contrário do que diz a grande mídia e o prefeito, que tentam incitar a população contra os rodoviários, NÃO HÁ CONFLITO DE INTERESSE ENTRE O BLOCO DE LUTA E OS TRABALHADORES. O lucro das empresas possibilita a concessão de aumento aos trabalhadores sem aumento da tarifa aos usuários.

– Por um transporte 100% público: para transformar o modelo de transporte na cidade é preciso lutar para tirá-lo da mão dos empresários. A lógica empresarial é contrária ao interesse coletivo.

Todos nós, usuários do transporte coletivo, somos afetados de alguma forma pela greve. Sabemos que essa situação só existe por culpa dos patrões e do governo. O apoio da população é fundamental para que essas transformações aconteçam. Inclusive, os rodoviários propuseram rodar com a roleta liberada durante a greve!

Enquanto bilhões de reais são gastos para a realização de megaeventos, faltam recursos para o transporte público e outros serviços básicos.

Greve não é crime, é direito. O ano de 2014 começou com forte repressão policial às mobilizações sociais em todo país – em São Paulo um jovem foi baleado e segue em estado grave, em Joinville dois membros do Movimento Passe Livre foram presos arbitrariamente, e aqui em Porto Alegre 7 foram detidos no último ato do Bloco. Não aceitamos nenhum tipo de repressão e criminalização às lutas sociais.

POR UM TRANSPORTE EFICIENTE E ACESSÍVEL, PARTICIPE DESTA LUTA!

PROTESTO NÃO É CRIME!

QUE OS RICOS PAGUEM A CONTA!

 Porto Alegre, 28 de janeiro de 2014,

Bloco de Luta Pelo Transporte Público e Comando de Greve dos Rodoviários

aqui: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=659202877475629&id=488875294508389&stream_ref=10

Anúncios

One comment

  1. “A Sutil Violência Íntima”

    violência gera violência
    que gera mais violência que
    gera mais e mais violência
    e gera outras violências que
    desencadeiam mais
    violência que gera maiores
    violências que geram
    impulsivas violências que gera
    a aceitação de mais
    violência que nos “obriga” à
    violências ocultas que levam-nos
    para incontroláveis violências
    que gera o desejo sombrio
    por mais violência que gera
    o inexplicável (in)consciente
    coletivo de violência que
    gera a crênça de que só com
    mais violência que se intimida
    toda a existente violência que
    gera toda essa violência tão simpática
    que gera filhos tão ávidos pela
    violência que gera uma violência
    esperançosamente sem fim….

    alessandrOleitãO

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s