Day: Março 21, 2014

Agenda libertária para este sábado (Madrid, Cacilhas, Lisboa…)


(Madrid) Manifestação Marchas da Dignidade, Atocha, 17H

424px-Cartel_22M_23M_24M

A coluna anarcosindicalista sairá às 16H de Tirso Molina, em direcção a Atocha onde convergirá com o conjunto das colunas, integrando-se na grande marcha pelo centro de Madrid.

https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2014/03/21/22m-colectivos-portugueses-participam-nas-marchas-e-na-manifestacao-amanha-em-madrid/

(Cacilhas) Centro de Cultura Libertária, às 17,30H

???????????????????
Apresentação da Antologia poética de Jesús Lizano, um poeta libertário de Barcelona, por Salvador García

20h – Jantar vegano
Contribuição livre para as despesas mensais do CCL

«Ante esses enganos do poço político, Lizania apresenta-se como terra rebelde, inocente, livre e criativa. E descobre que a espécie humana, se não se auto-destruir, o que bem pode acontecer, deve aspirar a um Mundo Real Poético. Testemunho de que esse mundo é possível vemo-lo em Lizania. E, embora Lizano sucumba no final da viagem, Lizania contudo sobrevive-lhe. Daí que ele possa então reclamar, gritando: “descobri terra e ela conquistou-me”.»

(Lisboa) SEM SINAL, na RDA, 18H

cartaz_print_w

SEM SINAL – lutas sociais e organização a partir do caso da televisão grega

Propomos uma conversa em torno das questões do trabalho e das lutas laborais, partindo da experiência da ocupação da televisão pública grega em 2013, com a participação de alguém que acompanhou de perto os eventos.

Ao longo dos últimos anos temos assistido a momentos de contestação social um pouco por todo o lado, cuja intensidade e amplitude levantam diversos  problemas : como superar a institucionalização do conflito laboral, tornando efectivas as lutas em que nos envolvemos? Como passar das reivindicações defensivas à apropriação do nosso tempo e do que produzimos? Como juntar os que trabalham e os que não trabalham para enfrentar aqueles que nos forçam a esta vida de miséria e tédio?

Esta conversa procurará abordar estas questões e ensaiar algumas respostas colectivas possíveis, numa perspectiva internacionalista.

http://rda69.wordpress.com/2014/03/17/sem-sinal-lutas-sociais-e-organizacao-a-partir-do-caso-da-televisao-grega/

(Lisboa) Jantar com Poesia, no Gaia, 20H

Capturar

GAIA, rua da regueira 40, alfama, lisboa

dIA 22 DE Março é o dia Mundial da Poesia e com jantar comeremos os Tês e Rêes veganos sem trolis, que cuspiremos pelo ânus e um ouvido porque…..depois descobrirão, ou não. Dois sentidos sem fim ou, com becos e vários cruzamentos, no GAIA – é fixe, sem Soares.

20h jantar popular

21h poesia Companhia independente de artes

http://gaia.org.pt/node/16591

(AIT/SP) Unir as lutas na península ibérica


teka
.
(comunicado distribuído hoje em duas lojas do Grupo Teka, em Lisboa, pela AIT/SP)
.
A PORTINOX, do Grupo TEKA, despediu 13 funcionários na fábrica em Granada, Espanha.
A multinacional, a operar em 33 países, não pode valer-se da desculpa das dificuldades económicas, pois se a situação fosse grave, os cortes teriam de se repercurtir nos avultados salários dos gerentes e não nos dos trabalhadores.
O mais provável é que este despedimento colectivo se enquadre numa estratégia da empresa para desmantelar e transferir a Portinox para países onde a produção seja mais barata, como mostra a actuação do grupo Teka em Santander, Espanha, com o despedimento de 198 trabalhadores.
Isto tudo, como sempre, com a colaboração desprezível do Ministério do Emprego Espanhol, dos meios de comunicação social que se têm limitado a passar a versão da empresa, chegando a citar textualmente as cartas de demissão e com os sindicatos oficiais a limitarem-se a seguir as instruções que o patronato lhes ditou.
A última palavra é, pois, dos trabalhadores. Apenas organizados poderemos fazer valer a nossa voz!
A CNT, Confederação Nacional do Trabalho, tem estado em luta contra a empresa há vários meses e hoje multiplicam-se em todo o mundo as acções de solidariedade para que os trabalhadores sejam readmitidos.
Em Espanha, em Portugal e em todo o lado, a solidariedade entre trabalhadores e trabalhadoras em luta será sempre mais forte do que toda a repressão dos patrões!
.
Readmissão dos trabalhadores despedidos em Granada!
 
Um ataque contra um é um ataque contra todos!
.
AIT-SP | Núcleo de Lisboa  
20/03/2014
.

(22M) Colectivos portugueses participam nas Marchas e na manifestação amanhã em Madrid


na marcha

Têm chegado ao Portal Anarquista informações de que vários grupos, colectivos e militantes a título individual portugueses (alguns libertários, outros não) se preparam para se juntarem às Marchas da Dignidade que convergem para Madrid, onde amanhã irão desfilar sob o lema “Pão, Trabalho e Tecto” (ver manifesto mais abaixo). A participação nesta jornada de luta de militantes anticapitalistas portugueses é muito importante, de maneira a podermos criar espaços futuros de cooperação e unificação de lutas à escala ibérica.  Amanhã, em Madrid vão ecoar as vozes de todos aqueles que – à margem dos grandes sindicatos do regime e dos partidos do “status quo” (de um e de outro lado da fronteira) – lutam por um outro mundo mais igualitário e mais justo, onde as decisões sejam tomadas a partir “de baixo” e não das cúpulas e directórios empresariais e políticos e em que cada um de nós tenha a possibilidade de autogerir as suas vidas, sem constrangimentos de qualquer ordem. (mais…)

25 de Abril: todos os rios vão dar ao Carmo!


todos os rios

A convocatória está a ser feita nas redes sociais: na noite de 24 para 25 de Abril não fiques em casa, junta os teus amigos e vem festejar e protestar para o Largo do Carmo, em Lisboa. É uma forma de, nós cidadãos, reclamarmos como nosso o espaço público, o espaço das grandes assembleias e dos grandes debates, o espaço do encontro. Aqui fica o texto da convocatória:

“Na noite de 24 de Abril saltam rios de vários pontos da cidade. Vários rios de gente que quer estar na rua neste dia – em vez de estar sozinha em sua casa – e que, com panelas, instrumentos, pancartas, vozes e vontades, desaguam no Largo do Carmo.

Não é por acaso que queremos regressar a este sítio. Não só porque faz 40 anos que este largo se encheu de gente que não obedeceu às indicações de ficar em casa do Movimento das Forças Armadas, mas também porque queremos viver e reclamar o espaço público.

Para estes rios existirem, terão de ser criadas nascentes. Pega em ti e nos teus amigos, no teu grupo musical, no teu colectivo ou na tua equipa de atletismo, fala com outras pessoas, pensa num ponto de encontro, organiza o teu percurso.”

aqui: https://www.facebook.com/events/432399456863106/

https://riosaocarmo.wordpress.com/