(Marchas da Dignidade) Comunicado da CNT: “Hoje em Madrid escutou-se a voz da classe operária”


cnt

22M, um antes e um depois

Hoje, 22 de Março, mais de um milhão de pessoas trouxemos para a “capital do reino” a nossa repulsa e raiva contra a actual situação social. A CNT considera que esta jornada de mobilização social trouxe esperança e marca um antes e um depois, já que foi organizada à margem das CCOO e da UGT, dos partidos políticos e sem cobertura mediática. O 22M deve ser o germen de uma luta continuada e comum pela defesa dos nossos direitos, contra os cortes, em defesa das liberdades e de denúncia da repressão. O passo seguinte tem que ser o Primeiro de Maio e, depois, construir entre todos um cenário de confrontação com o poder. Por isso convidamos todos os trabalhadores que recusam e estão desencantados com os sindicatos oficiais, assim como ao movimento libertário, a juntarem-se para construir estas lutas.

Esta mobilização foi submetida a uma clara censura por parte dos meios de comunicação, mostrando-nos assim a sua pluralidade e a sua vocação de informação objectiva. Estas empresas, criadoras de opinião, tentaram silênciar a existência desta luta. De nada lhes serviu, já que esta se alargou a partir de baixo até constituir-se numa realidade inquestionável, que incomoda e preocupa. Sem dúvida, vão procurar tergiversar os factos e ocultar as reivindicações; em troca porão todo o empenho em dar voz aos nosso honoráveis políticos para que nos digam que estes não são os meios nem o caminho correcto e para nos recordarem os ruins que somos se nos mobilizarmos à margem dos seus slogans e farsas eleitorais.

Parece-nos também  vergonhosa e oportunista a actuação da CCOO, UGT, USO e dos colectivos da Cimeira Social que se juntaram à última hora para salvar o expediente e rentabilizar os esforços e lutas de todas as pessoas, colectivos e organizações que trabalharam por levar a bom termo esta mobilização. Será uma curiosa coincidência a reunião desta semana entre os agentes sociais e o governo; outra tentativa desajeitada de esconderem as suas vergonhas, obter protagonismo e reclamar uma legitimidade que já ninguém lhes reconhece pelas suas traições  e corrupção. Nem juntos nem em separado: todos eles fracassarão se nos mantivermos unidos na luta, na rua. Hoje em Madrid escutou-se a voz da classe operária.

Queremos também expressar o nosso repúdio pela militarização de Madrid, com a presença de centenas de esquadrões de antidistúrbios, criminalizando de antemão um protesto social legítimo. Eles temem a nossa voz e pretendem amordaçá-la. Nós sofremos e denunciamos as suas agressões. Não nos pararão: nós continuaremos na rua.

 A CNT esteve presente na manifestação de hoje com um bloco formado por milhares de militantes e simpatizantes. Formámos também uma parte importante de várias colunas regionais que confluíram em Madrid. Agradecemos a todas as pessoas que nos acompanharam hoje a sua contribuição para a luta.

Pelo ressurgir da consciência de classe, vemo-nos no Primeiro de Maio e não nas urnas!

 Solidariedade e apoio mútuo!

Secretariado Permanente do Comité Confederal da CNT-AIT

22/3/2014

aqui: http://cnt.es/noticias/22m-un-antes-y-un-despu%C3%A9s

soli

Ver também posição do Bloco do Sindicalismo Alternativo (CGT,  Solidaridad Obrera e outras organizações de base): https://www.facebook.com/photo.php?fbid=478829498913519&set=a.378361692293634.1073741825.180169848779487&type=1&theater

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s