Day: Abril 21, 2014

Preparar os rios que vão dar ao Carmo na noite de 24 de Abril


carmo

24 de Abril, TODOS OS RIOS VÃO DAR AO CARMO!

Escolhe o teu rio e sê parte do Oceano de Liberdade!

Evento central:https://www.facebook.com/events/432399456863106/

RIOS E NASCENTES

Bairro 25 de Abril
Parque Catarina Eufémia (Barreiro) | 20h
https://www.facebook.com/events/817053454983282

Carruagem da Liberdade
Comboio com partida de Sintra às 18h55, chegada ao Rossio às 19h34
https://www.facebook.com/events/1473029336260522

Comboio da Liberdade
Comboio com partida de Cascais às 20h04
https://www.facebook.com/events/1437613239818429

Comboio de Vila Franca -Alverca – Sacavém
Comboio com partida de Vila Franca de Xira às 19h45
https://www.facebook.com/events/753633924670109/

Curto e Grosso 450 + Estudantes ao Carmo
Faculdade de Belas-Artes (Lisboa), concentração às 17h, partida às 20h45
https://www.facebook.com/events/1437368439837122/
https://www.facebook.com/events/639904632726043

E o asfalto é tão largo…
Largo da Achada (Lisboa), 20h30
https://www.facebook.com/events/1538797589680050

Frente Poesia 25 de Abril
Largo do Chiado (Lisboa), 20h30
https://www.facebook.com/events/626576217428675

Podes ser a gota de água + Com abraços de cultura + Gaiteiros e percussionistas ao Carmo
Tribunal Constitucional, Rua do Século, nº 111 (Lisboa), 21h
https://www.facebook.com/events/386499198157923
https://www.facebook.com/events/260299514150938
https://www.facebook.com/events/299165266899650

PREC’s not dead + Capitães Queer – Abril Para Todas as Famílias + Movimento basta!!! Okupar o Carmo
Jardim do Príncipe Real (Lisboa), 21h
https://www.facebook.com/events/619217914820105
https://www.facebook.com/events/661353807233087
https://www.facebook.com/events/660261414022896

Queremos um novo Abril!
Largo do Rossio (Lisboa), 21h
https://www.facebook.com/events/640079339379596/

Rés-vés Campo d’Ourique
Praça São João Bosco (Lisboa), 21h
https://www.facebook.com/events/1481340698744551

Ribeira das Águas Livres + #RiosAoCarmo
Banco de Portugal, Av. Almirante Reis (Lisboa) 20h
https://www.facebook.com/events/231649177034855
https://www.facebook.com/events/581157165313319

Ribeira de Algés
Jardim do Parque Anjos (Algés), 19h30
https://www.facebook.com/events/860866967272246

Rio da Graça
Miradouro da Graça (Lisboa), 20h30
https://www.facebook.com/events/506845656087225

Rio de todas as cores
Rua do Comércio, 8 (Lisboa), 21h
https://www.facebook.com/events/553426764774880

Só há liberdade a sério quando
Largo do Intendente (Lisboa), 21h
https://www.facebook.com/events/267004970137515/

Triunfo dos Excravos
Praça do MFA (Almada), 20h; Terminal de transportes (Cacilhas), 20h30; Cais do Sodré (Lisboa), 21h
https://www.facebook.com/events/1493521920869851

Cai o Carmo e a Trindade
Café República, Av. D. Carlos I (Lisboa), 21h
https://www.facebook.com/events/450190238447612

http://riosaocarmo.wordpress.com/

aqui: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=550054121777735&set=a.547110582072089.1073741875.434894793293669&type=1&theater

excravos

Não saímos à rua para comemorar um golpe militar. Saímos à rua porque partilhamos do sentimento de insubmissão dos que desobedeceram às ordens dos militares para ficarem em casa, ocupando a rua e transformando o que se pretendia como uma transição pacífica numa grande festa de “excessos” revolucionários. 

Houve sem dúvida muitas coisas admiráveis no período que se seguiu ao 25 de Abril de 1974. Os escravos perderam o respeito pelos senhores e tomaram a vida nas suas mãos. Quem não tinha casa ocupou-a, quem não tinha terra tomou-a. As relações de autoridade ruíram como se ainda no dia anterior não estivessem de pedra e cal. Mas ainda mais admirável teria sido se essa vontade de cada um ser dono do seu destino tivesse perdurado, se não precisasse da protecção dos militares para continuar.

Não nos vamos mais uma vez lamentar sobre esta sociedade de conformados e conformistas, sobre o “triste fado” deste “bom povo”. Mas sabemos o quanto fomos adormecidos pelo regime democrático e como a institucionalização da mitologia de Abril, o ritual dos cravos a descerem a avenida, esvaziou de sentido o que houve de verdadeiramente bonito há 40 anos. Achamos fantástica a queda da ditadura, mas não podemos comemorar este regime democrático. Não é por serem democráticos os patrões, as polícias ou as prisões que deixam de ser isso mesmo: patrões, polícias ou prisões.

Vivemos atormentados pelo trabalho ou pela ausência dele, esmagados por impostos e por imposições, habitando cidades moldadas pelos desígnios do capital, submetidos a cada vez maior vigilância e controlo policial, sem nos podermos mover por não termos dinheiro ou sem podermos viver por não termos tempo, batalhando para ter casa e comida, sentindo-nos cada vez impotentes perante o olimpo dos deuses da economia e da política.

Saímos à rua libertos de mitos democráticos e sem dívidas nem gratidão para com o Movimento das Forças Armadas. Não lutamos contra este governo, mas contra todos os governos. Não queremos usar as ruas para chegar ao poder, queremos que as ruas não sejam mais domadas por nenhum poder.

Saímos à rua para nos encontrarmos com outros excravos e, juntos, virarmos o tabuleiro. O que temos a comemorar é o sentimento dos que se revoltam, hoje como há 40 anos. Sejamos dez ou sejamos um milhão. Este é o triunfo dos excravos.

http://triunfodosexcravos.noblogs.org/

Onde podes juntar-te a nós no dia 24 de Abril:

20.00 – Praça do MFA – Almada

20.30 – Terminal de transportes – Cacilhas

21.00 – Cais do Sodré – Lisboa