Mês: Dezembro 2014

Bom ano de 2015 de Anarquia, Luta & Acção Directa


solidaridad1

 

A todos os de baixo, a todos os que lutam, a todos os que sonham … um grande ano de 2015 de combates contra o Estado e o Capital. Os explorados e os oprimidos de todo o mundo só têm uma ‘pátria’: uma terra sem amos, sem deuses e sem mestres.

Viva a Anarquia!

Em dois anos imprensa anarquista na América Latina cresceu mais de 50 por cento


prensaAenAL2014

Em Dezembro de 2012, há exactamente dois anos atrás, o jornal anarquista venezuelano el libertario fez um levantamento da imprensa libertária periódica contemporânea na América Latina e identificou 66 publicações activas e com presença nos meios anarquistas, o que – para os autores da pesquisa – era motivo de contentamento já “que tal número indicava o novo impulso que a imprensa ácrata latino-americana estava a tomar no século XXI, depois de na segunda metade do século anterior ter entrado num declive que parecia insuperável”.

Novo inventário foi feito agora. E o número de jornais e revistas anarquistas aumentou mais de 50 por cento na América Latina, situando-se agora nos 100 títulos: 80 em castelhano (editados em 12 países que falam o castelhano) e 20 em português (no Brasil). Para os editores de el libertario este renascer da imprensa libertária “é um dos indicadores mais patentes da reaparição do anarquismo latino-americano não só no âmbito comunicacional, mas também na área política, social e cultural. Registemos também o mérito adicional que representa pôr na rua cada um destes porta-vozes, pois não são simples os desafios a vencer nestas terras para planear, editar e fazer circular qualquer publicação que difunda os ideais de liberdade e de igualdade em solidariedade”.

Segue a lista das publicações que têm páginas na internet (pesquisa também da responsabilidade de el libertario):

(mais…)

Concentração em Lisboa de solidariedade com anarquistas espanhóis juntou algumas dezenas de manifestantes


1

2

Concentração #SomosTodxsAnarquistas em frente à Embaixada de #Espanha. #NoLeyMordaza – em solidariedade com os presos anarquistas da #OperacionPandora.

retirado daqui: https://www.facebook.com/guilhotina.info/photos/pcb.686558408127305/686557014794111

(Lisboa) Manifestação de solidariedade com os anarquistas presos em Espanha


cartaz

#SomosTodxsAnarquistas

Solidariedade com os detidos na Operação #Pandora, no estado espanhol
Lisboa /29 de Dezembro (2a-feira) | 18h | Embaixada de Espanha

Nem culpados, nem inocentes!

https://www.facebook.com/guilhotina.info/photos/a.440006416115840.1073741829.434894793293669/684740248309121/?type=1&fref=nf

«Anarquismo» , segundo a Enciclopédia Britânica (1910)


Berni-manifestacion-1934-cineciapolitica-4t-com

Por Peter Kropotkin

ANARQUISMO (do grego av e aoxn, contrário à autoridade), é o nome dado ao princípio ou teoria de vida e conduta em que a sociedade é concebida sem governo –a harmonia em tal sociedade é obtida, não pela submissão a leis ou pela obediência a alguma autoridade, mas pela livre concordância estabelecida entre vários grupos territoriais e profissionais, livremente constituídos para a produção e para consumo, mas também para a satisfação da infinita variedade de necessidades e aspirações de um ser civilizado. Numa sociedade desenvolvida segundo estes princípios, as associações voluntárias presentes em todos os campos da atividade humana alargar-se-ão de tal forma que substituirão o Estado em todas suas funções. Elas constituirão uma rede composta por uma variedade infinita de grupos e federações de todas as dimensões e graus, seja  locais, regionais, nacionais ou internacionais, temporárias ou mais ou menos permanentes – para todos os fins possíveis: produção, consumo e troca, comunicações, saúde, educação, protecção mútua, defesa do território, e assim por diante; e, por outro lado, para a satisfação de um número crescente de necessidades científicas, artísticas, literárias e sociais.

(mais…)

(Comunicado) A FAI face à repressão ao anarquismo (e à sua manipulação mediática)


Cabecera-detenciones-movimiento-libertario-MD_EDIIMA20141216_0914_14

A FAI (Federação Anarquista Ibérica) manifesta o seu repúdio pelas recentes detenções de anarquistas na Catalunha e em Madrid e oferece o seu apoio solidário aos detidos e encarcerados, assim como aos seus familiares e às pessoas mais chegadas.

O crescimento organizado do meio libertário e do protesto social nos últimos anos está a ser sistematicamente combatido pelo Estado, apoiado em leis repressivas que qualificam como terrorista qualquer tipo de actividades contrárias à ordem estabelecida. Não é em vão que as detenções são um aviso para quem participa em qualquer actividade reivindicativa e são a porta de entrada da nova Lei da Mordaça (Lei de Segurança Cidadã) que pretende instaurar um estado de excepção encoberto que pare o movimento social de mudança que já começou. Por isso, o Estado provoca alarme social através de operações policiais e processos judiciais baseados em indícios e em acusações arbitrárias, que alimentam o falso mito do anarquismo terrorista e promotor da luta armada.

Este tipo de operações antiterroristas costumam terminar com a absolvição ou a imposição de condenações menores aos represaliados, em consonância com a inexistência de organizações armadas e atentados terroristas no território espanhol.

Segundo alguns diários (como Libertad Digital) o auto judicial do juiz Gómez Bermúdez reflecte a existência de alguma relação entre as pessoas detidas e a FAI, depreendendo-se destas afirmações que temos ideias e práticas violentas, o que é absolutamente falso.

Alguns meios de comunicação (como a agência Europa Press e diversos portais web, próximos do Governo) tentam-nos intoxicar, confundir e relacionar-nos com a organização FAI-FRI (Federação Anarquista Informal – Frente Revolucionária Internacional) e os GAC (Grupos Anarquistas Coordenados), que nada têm a ver connosco.

A prática da FAI é visível e pública, de carácter internacionalista e social. Assim o evidenciam tanto a nossa adesão à IFA (Internacional de Federações Anarquistas), como o amplo espectro de actividades que realizamos na sociedade.

A FAI promove o desenvolvimento da organização anarquista e social, baseada na acção directa, no apoio mútuo e na autogestão e sem nenhum tipo de ingerência por parte do Estado e do Capital, já que a FAI luta pelo surgimento duma sociedade emancipada deste sistema e que favoreça o desenvolvimento livre e integral dos seres humanos.

Pelo exposto, a FAI denuncia publicamente a prisão e a repressão da militância anarquista e do protesto social, assim como a campanha de manipulação mediática do anarquismo e desta Federação.

Federação Anarquista Ibérica

https://federacionanarquistaiberica.wordpress.com/2014/12/25/la-fai-ante-la-represion-del-anarquismo/

fai