(livros) “Lutas dos moradores no pós-25 de Abril” e a “Biografia de Agostinho da Silva” para breve nas livrarias


hipólito

«Sem Mestres Nem Chefes o Povo Tomou a Rua. Lutas dos Moradores no Pós-25 de Abril», de José Hipólito dos Santos

Apresentação Pública sexta-feira, dia 30 de Janeiro, no Bar de “A Barraca” (Lisboa), às 18,30H

«Ainda em Abril de 1974, moradores de um bairro camarário no Porto designaram uma comissão para acabar com o regulamento municipal, denunciando-o como meio de intromissão abusiva na vida dos moradores, que atenta contra os princípios de dignidade e de liberdade. E, bem conscientes de que não bastava exigir, incitaram outros bairros a fazer o mesmo. Nos dias seguintes, realizaram-se reuniões em todos os bairros e rapidamente se constituíram comissões de moradores, as primeiras de um movimento imparável e que se tornou nacional.»

Prefácio de Rui Canário
230 páginas
12 euros

aqui: http://www.letralivre.com/noticias/detalhes.php?id=271

*

1507-1

“O Estranhíssimo Colosso , Uma Biografia de Agostinho da Silva”, de António Cândido Franco

Agostinho da Silva é um dos maiores filósofos portugueses e uma figura singular e interveniente na sociedade e na cultura do século XX. A sua obra centra-se na ideia de liberdade como atributo supremo da condição humana. «[…] os passos numa aldeia da raia, os estudos na Invicta, os primeiros amores, os trabalhos em Lisboa, as investigações em Paris e em Madrid, as paixões em São Paulo, os entusiasmos em Montevideu, as estranhezas em Buenos Aires, os recolhimentos em Itatiaia, os estudos no Rio, as aulas em Niterói, as campanhas na Paraíba, as descobertas no Ibapuera, as ações em Santa Catarina e na Baía, os novos amores em Brasília, as realizações no Japão, em Timor e em Nova Iorque, os empenhos na Galiza, as explosões em Sesimbra, Monsaraz e Príncipe Real, a participação na Revolução dos Cravos e no novo Portugal livre. Ficou ainda a obra colossal, que o génio do seu espírito, a agilidade da sua mão, a acutilância do seu pensamento nos legou […]. Quem foi George Agostinho Baptista da Silva? A resposta é infinita, tantos os ângulos esquinados desta vida: prosador de altíssimos dons, narrador inventivo, cronista subtil, biógrafo monumental, pedagogo de largo esforço, monitor de fina manha, professor de sucesso, pensador destemido, poeta bissexto, gramático de muita língua, estoico severo, homem de desleixada túnica, entomologista, tradutor, criador do Centro de Estudos Afro-Orientais, escândalo bíblico, trickster, ogã de terreiro baiano, patriarca de larga tribo, povoador, amante, perrexil, poliglota, sonhador, farsante, polígamo, explicador, joaquimita, gato, galo, sábio, escuteiro, pop-star, colosso, bandeirante, franciscano anormal, homem do tá-tá-tá, aprendiz de valsa, cidadão do mundo, aldeão antigo, monstro, vadio truculento, marau divino, criança eterna, biógrafo de Miguel Ângelo, homem de cinco cabeças e 10 instrumentos […], o otimista, o entusiasta, sem a mais pequena mancha de desânimo no futuro.

O autor da biografia de Agostinho da Silva, cujo pensamento libertário tem vindo a ser cada vez mais sublinhado, é o professor, ensaísta e poeta António Cândido Franco, director da revista de cultura libertária “A Ideia” e colaborador assíduo de “A Batalha”.

A edição é da Quetzal e estará à venda nas livrarias a partir do dia 13 de Fevereiro.

http://quetzal.blogs.sapo.pt/o-estranhissimo-colosso-470028

Advertisements

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s