Mês: Março 2015

(AIT/SP) Instituto Português de Pedagogia Infantil e Câmara de Odivelas contratam professores a falsos recibos verdes


odivelas_cm
Cerca de 40 professores das Actividades de Enriquecimento Curricular de escolas do 1º Ciclo de Odivelas encontram-se em situação de falsos recibos verdes.
Foram contratados para leccionar Música, Expressões, Inglês e Atividade Física e Desportiva pelo Instituto Português de Pedagogia Infantil que recebe da Câmara Municipal de Odivelas o dinheiro destinado a estas actividades.
Apesar das condições serem iguais às dos trabalhadores dependentes – com horário, salário e local de trabalho fixos, materiais da empresa, obediência a uma hierarquia, etc. – estes professores não são considerados funcionários e estão em regime de trabalhadores independentes. Alguns estão até há vários anos na Instituição e este ano lectivo viram a sua situação precarizar-se ainda mais.
A instabilidade inerente a um part-time de poucas horas e que conduz sempre ao desemprego no Verão, com o fim das aulas, já é uma situação revoltante, mas estas pessoas têm ainda de trabalhar lado a lado com colegas que possuem contrato de trabalho e são obrigadas a fazer por si próprias os descontos para a segurança social. Perdem todos os direitos, como, por exemplo, o subsídio de férias, de natal ou o subsídio de desemprego, a justificação de faltas, etc. e vivem ainda em insegurança, pois podem ser despedidas a qualquer momento…
Todos sabemos que a precariedade laboral, o desemprego e os salários de miséria são um problema da grande maioria dos trabalhadores, seja nas empresas privadas, no Estado ou em instituições como esta que se designam de Solidariedade Social!!
Lutemos então com aqueles que sofrem os mesmos problemas que nós e resgatemos a nossa dignidade! Merecemos respeito!
Unidos e auto-organizados, nós damos-lhes a crise!
Associação Internacional dos Trabalhadores – Secção Portuguesa
Núcleo de Lisboa
29/03/2015
Anúncios

(Lisboa) “Nu–Acto Poético em processo de perpétua reinvenção” esta quarta-feira na BOESG


nu_cartazA BOESG apresenta no dia 1 de Abril:

– Acto Poético em processo de perpétua reinvenção –

Reivindicando-se herdeira de uma já longa tradição que vai beber inspiração a Ubu Rei (Alfred Jarry), esta performance, assume-se como uma viagem ao hemisfério direito do cérebro.

A poesia como infra e ultra – linguagem, para além do Verbo canónico (*blá blá blá* do quotidiano cinzento, epítome do Deserto do Real), enfrenta a Ordem estabelecida de um Capitalismo selvático des-humanizante, num tempo de alienação colectiva, omisso da “Consciência de Si – Próprio. “

NU, é o infinito ponto da infindável linha imaginária que perpassa os Hemisférios do Ser (Esvaziado) e do Nada (Total), meridiano por onde perpassam ecos das penas criadoras de Dylan Thomas e Witold Gombrowicz!

Tudo é Forrado a Criança” é o Fiat Lux, força motriz da quadrifonia: Reflexão, Conhecimento, Acção e Amor!

Uma viagem aos interstícios siderais perpassados pelo fluxo genésico da Arte enquanto Sonho e do Sonho enquanto Arte!

NU, é uma criação de Nuno Marques Pinto (aka Projecto MOMO)

– Júlio Mendes Rodrigo

FICHA TÉCNICA

Concepção e interpretação – *Nuno Marques Pinto*

Desenho de Luz e Som – Rafael Cortés e Nuno Marques Pinto

Produção – Projecto MOMO

Textos – Nuno Marques Pinto, António José Forte e António Maria Lisboa.

Cartaz – *Oficina ARARA*

Início da performance poética às 22h

Jantar* paladares anti-gourmet às 20h

Aparece & divulga


BOESG | Rua das Janelas Verdes
n.º 13, 1.º esq. (Santos) Lisboa
http://boesg.blogspot.pt/

(Estado espanhol) CNT contra a perseguição ao movimento anarquista


FINAL

A CNT solidariza-se com todos os detidos na operação policial de 30 de Março

O Estado volta a recorrer à repressão e tenta, de novo, criminalizar a ideologia e os colectivos anarquistas. Para isso põe em marcha todo o seu poder mediático e judicial, tentando desta maneira instalar na sociedade um clima de medo e insegurança que justifique a aprovação e a aplicação de novas leis, cada vez mais repressivas e reaccionárias. Precisam de um inimigo e fabricam-no. Primeiro fazem as leis; depois procuram alegados culpados a quem elas se apliquem. Com isto pretendem esconder ao serviço de quem está toda a máquina do estado, que não é senão as grandes empresas e a banca.

Quando, apesar dos apelos à participação nos processos eleitorais, se mantêm ou aumenta a resposta na rua contra os cortes sociais e laborais e a perda de direitos, o estado necessita reforçar as suas ferramentas repressivas e de controlo social. E põem-nas em acção contra aqueles que o enfrentam.

As prisões e as buscas de hoje acontecem, precisamente, poucos dias depois de ser aprovada a nova Lei de Segurança Cidadã, mais conhecida como Lei Mordaça, à qual não só se opõem os movimentos sociais e sindicais mais combativos. Instituições tão pouco suspeitas de serem “anarquistas Terroristas” como ONG’s e outros movimentos sociais, a União Europeia ou a ONU também manifestaram o seu repúdio ou as suas reservas face a esta lei.

A relação entre os dois factos parece-nos nítida. As operações policiais acompanham a aprovação de uma lei tão controversa, jogando aqui o movimento e os colectivos anarquistas o papel de vitimas “à mão de semear”: como não se apresentam a eleições nem têm lugar fixo nas tertúlias televisivas, as suas denúncias ficam silenciadas pelo ensurdecedor ruído mediático. Ao mesmo tempo que a lei gera alarme social e procura uma base de apoio a política do quero e posso reprime qualquer reivindicação que ponha em perigo o seu controlo sobre a resposta social e sindical aos seus ataques-

 O único terrorismo real de que sofre a classe trabalhadora é o que se exerce a partir do poder: os despejos, o desemprego, o desmantelamento do sistema de saúde e de educação… Como gritamos nas ruas “violência é o dinheiro não chegar ao fim do mês”. Não podemos permitir que espezinhem os nossos direitos mais básicos. Antes prendiam manifestantes e grevistas. Hoje prendem anarquistas. Amanhã serás tu. E então já será tarde.

 Não à repressão. Não à prisão de quem luta.

Secretariado Permanente do Comité Confederal da CNT

http://www.cnt.es/noticias/cnt-en-contra-de-la-persecuci%C3%B3n-al-movimiento-anarquista

relacionado: https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2015/03/30/novas-detencoes-de-anarquistas-no-estado-espanhol/

https://directa.cat/policia-espanyola-dete-28-persones-en-una-operacio-contra-collectius-anarquistes

https://www.diagonalperiodico.net/libertades/26261-26-detenciones-madrid-la-segunda-parte-la-operacion-pandora.html

Novas detenções de anarquistas no Estado Espanhol


transferir (1)

#Operação Piñata: a segunda parte da Operação Pandora contra o movimento libertário no Estado Espanhol

Teve hoje, 30 de Março, lugar no território espanhol uma nova operação criminalizadora contra o movimento anarquista, com acusações de supostos actos terroristas ( ou de haver “intenções terroristas”). Hoje às 6.30 horas da madrugada começou uma operação ordenada pelo juiz Velasco da audiência Nacional em que houve buscas a vários Centros Sociais Ocupados de Madrid e de Granada e a residências particulares de Madrid, Palência, Granada e Barcelona. Foram feitas buscas em 17 lugares, dos quais 6 são espaços ocupados. Foram presas 26 pessoas, das quais 14 por “resistência”, ou seja, por se encontrarem nos locais onde foram feitas as buscas.

daqui (com alterações): http://www.alasbarricadas.org/noticias/node/34075

http://www.alasbarricadas.org/noticias/node/34083

(Damaia) Nu sta Djunto no Bairro 6 de Maio!


funana
.
Bairro 6 de Maio, Damaia

Nu sta Djunto no Bairro 6 de Maio!
28 de Março, a partir das 14 horas.
Concertos, actividades para crianças, roda de capoeira, grupos de dança, funaná, mic aberto, loja livre …
Traz alimentos para fazermos cabazes!!
Solidariedade e entre-ajuda!
Divulga e aparece!
Nu sta djunto, nu sta forte!

https://www.facebook.com/events/778967365515405/

(Porto) Caravana Transibernal na Casa Viva até ao fim-de-semana


caravanne

A Caravana Transibernal, depois de ter estado em Évora há duas semanas, está de passagem pelo Porto. Os seus membros apresentam-se deste modo: “Somos uma parte de um colectivo nómada, a caravana intergaláctica. Conforme os nossos hábitos, em cada etapa, propomos discussões, debates, ateliers e outros que permitem aumentar a nossa autonomia em relação ao sistema. Esperamos partilhar algum momento com vocês esta semana”.

A Caravana vai estar na Casa Viva esta quinta-feira, sexta-feira e sábado, a partir das 17,30H. Domingo, o encontro será no Moinho, Silvade.

Quinta, 26 de Março, 17h30 – CasaViva
ZAD e movimentos rurais em França
Conversa – Tertúlia – Exposições

Sexta, 27 de Março, 17h30 – CasaViva
A Caravana Intergaláctica, o seu passado, os seus futuros
Conversa – Tertúlia – Exposições

Sábado, 28 de Março, 17h00 – CasaViva
Atelier de Autodefesa Feminista

Domingo, 29 de Março, 13h00, Moinho
Almoço Intergaláctico
Almoçarada e distribuição de pão

Casa Viva, Rua Marquês de Pombal, 167, Porto

https://www.facebook.com/events/798976710171103/