Dia: Abril 7, 2015

(Porto) Dois livros de Guy Debord, recentemente publicados pela Letra Livre, vão ser apresentados na Gato Vadio esta sexta-feira


letra livre

Apresentação esta sexta-feira, dia 10 de Abril, pelas 21,30H, na Gato Vadio (Rua do Rosário, 281), no Porto, de dois novos livros de Guy Debord, publicados pela Letra Livre, com a presença do tradutor, Júlio Henriques e de Vitor Silva Tavares da editora & etc.

«O Planeta Doente», Guy Debord

Nesta obra, juntam-se três textos autónomos do fundador da Internacional Situacionista. Os temas são diversos, mas nem por isso carecem de pertinência ou actualidade – os motins de Watts, texto de 1966; a decomposição dos poderes burocráticos e da sua ideologia, de 1967; e a poluição e sua representação, texto inédito de 1971.

«O lema «A revolução ou a morte» já não é a expressão lírica da consciência revoltada, é a última palavra do pensamento científico do nosso século. Isto tanto se aplica aos perigos da espécie como à impossibilidade de adesão, no tocante aos indivíduos. Nesta sociedade em que o suicídio progride como sabemos, os especialistas tiveram de reconhecer, com um certo despeito, que em Maio de 1968 ele diminuíra quase para zero. Essa Primavera alcançou também um belo céu, sem precisamente se ter lançado ao seu assalto, porque alguns carros se incendiaram e a todos os outros faltou gasolina para poluírem. Quando chove, quando sobre Paris pairam falsas nuvens, convém nunca esquecer que isso acontece por culpa do governo. A produção industrial alienada causa o mau tempo. A revolução, o bom.»

«O Planeta Doente»
Guy Debord
Tradução e notas de Júlio Henriques
Grafismo de Rui Silva
Letra Livre, 2015
88 páginas

*

«Esta Má Fama…», de Guy Debord, com tradução e notas de Júlio Henriques, é o mais recente título no catálogo da Letra Livre.

Nesta obra, o fundador da Internacional Situacionista responde, num estilo directo e mordaz, «às assombrosas declarações» proferidas na imprensa francesa a seu respeito.

«Estou longe de ter os mediáticos na conta de imbecis; embora não se possa duvidar de que este sistema fez muito para aumentar a parcela de imbecilidade existente na sociedade, que nunca foi pequena. De resto, não sou dos que exageram a parte de responsabilidade directa dos mediáticos, como indivíduos; não passam de assalariados e poucos se elevam ao estatuto de escroques.»

«Esta Má Fama»
Guy Debord
Tradução e notas de Júlio Henriques
Grafismo de Rui Silva
Letra Livre, 2015
100 páginas

https://www.facebook.com/events/350983241762176/

(Alentejo) Este sábado há a ‘Festa da Semente’ em Odemira, na Aldeia das Amoreiras


cartaz-semente-2015-2

Convidamos todos os produtores, artesãos, guardiões de sementes, familias e amigos para partilhar connosco este dia.

É já no proximo dia 11 de Abril!
Reserva o teu almoço, escrevendo-nos para o email: alentejo @ gaia.org.pt ou telm. 92 634 16 74 ou ainda no:
https://pt-br.facebook.com/events/1417588341868311/

O programa:

9h30 «=» 13h Mercado de produtos locais, com troca de sementes e plantinhas. Temos um local com banquinhas reservado ás crianças.*Largo da Amoreira
10h «=» Apresentação ReCo (http://redecooperar.blogspot.pt/p/porque-reco.htmlhttp://www.jornalmapa.pt/2015/01/21/rede-cooperar-uma-iniciativa-de-produtores-e-consumidores/)

11h «=»  Conta o Conto “O Jaime e as bolotas”
11h20 «=» Mostra de Sementes Queridas; uma volta pelas sementes trazidas ao mercado…
12h30 «=» Almoço *na Escolinha
15h «=» Conversa Aberta “Consumo e Produção Local” pretendemos construir novos tipos de parcerias entre microprodutores e consumidores locais.
15h «=»Jogos Cooperativos para crianças *na Escolinha
16h30 «=» Jogo da Abundância *na Escolinha

Para ter banca o único requesito é trazeres a tua “Semente Querida”.

Agradecemos todas as cooperações que possam oferecer (como trazer musica por exemplo!) e pedimos para divulgarem este evento com quem vos faça sentido.

Reserva o teu almoço de preferência até terça-feira dia 7 de Abril, escrevendo-nos para o email: alentejo @ gaia.org.pt ou telm. 92 634 16 74.
(*) Cada senha-refeição tem o valor de 5oiros (oferecida para crianças < 12anos).

Capturar

(Argentina) Morreu a anarquista Maria Esther Biscayart de Tello, uma das mães da Praça de Maio


arton13202-075b4

tello3

tello2

tello1

Recebemos a triste notícia que ontem, primeiro de abril de 2015, faleceu no Hospital Italiano de La Plata (Argentina) a companheira, mãe da Praça de Maio, Maria Esther Biscayart de Tello, militante libertária e mãe dos companheiros Pablo, Rafael e Marcello Tello, também militantes nos anos 70 da organização anarquista Resistência Libertária (RL).

A companheira perdeu os três filhos para a brutalidade da repressão argentina. Sua vida foi atravessada pelo terrorismo de estado da ditadura militar argentina. Marcello Tello foi sequestrado em 9 de março de 1976 e logo desapareceriam Rafael e Pablo Tello em 31 de maio de 1978. Em 2009 Maria Esther Tello voltou a morar na Argentina.

30 mil companheiros Desaparecidos… Presentes!!!

Pablo, Rafael e Marcello Tello, presentes!

Maria Esther Tello… Presente, presente, presente!

Abaixo o Estado! Viva a Anarquia!

FARJ – Federação Anarquista do Rio de Janeiro

2 de Abril de 2015

http://www.farj.org/

(Anarquismo) Declaração comum mediterrânica


Capturar

Nós, anarquistas, libertários e anti-autoritários, reunidos nos Encontros Anarquistas Mediterrânicos em Tunes, nos dias 27 a 29 de Março de 2015, condenamos os atentados do Museu do Bardo, mas também a violência quotidiana das religiões, dos Estados e da polícia.

Continuaremos vigilantes para que a recuperação política destes acontecimentos trágicos não se faça em detrimento das liberdades e das populações. Opomo-nos a que sejam adoptadas novas leis liberticidas que sirvam para justificar a criminalização dos movimentos sociais e sindicais. Lutaremos também contra todas as tentativas de usarem estes acontecimentos como justificação para as guerras em nome do “anti-terrorismo”.

Não esperamos nada dos governos na defesa das nossas liberdades. Continuaremos unidos face à opressão económica, política e religiosa.

Construamos a solidariedade internacional no Mediterrâneo e em todo o  mundo, pela igualdade social e pelo apoio mútuo.

Encontros Anarquistas Mediterrânicos

Tunes, 29 de Março de 2015

http://i-f-a.org/index.php/es/i-f-a.org/index.php/fr/communique-d-autres-organisations-10/655-declaracion-comun-mediterranea

Reportagem sobre o encontro de Tunes feita pelos enviados da CNT: http://www.cnt.es/noticias/cnt-en-el-primer-encuentro-anarquista-del-mediterr%C3%A1neo-t%C3%BAnez