Dia: Abril 11, 2015

(tecnologia) Nasce ‘SinGuasa’, um WhatsApp libertário e anticapitalista


logo

A luta por um novo modelo de sociedade já se pode reflectir no seu telefone, tablet ou computador. Nas últimas horas, o Sindicato de Telecomunicações e Serviços Informáticos da CNT pôs em uso “SinGuasa”, um serviço ao estilo “Whatsapp” criado para “colectivos e individualidades que se reconhecem na autogestão e nos princípios libertários”. Segundo explicam os seus promotores, é um projecto vedado a quem faz negócios com as comunicações – leia-se, empresas do sector – e a ele tampouco poderão aceder partidos políticos ou organizações religiosas.

Ao fim de vários meses de trabalho, os seus criadores vivem dias não menos extenuantes que os anteriores. “SinGuaza” foi lançado ao público esta quarta-feira e desde então “tivemos centenas de pedidos para usar este serviço”. “Devemos ser sinceros: não imaginávamos o acolhimento que tivemos”, afirmam a partir do STSI. Agora, as pessoas interessadas devem registar-se na web singuasa.org, após o que receberão a chave para instalar a nova aplicação nos seus dispositivos.

Seguindo as instruções, acederão a um sistema de mensagens instantâneas, que lhes permite enviar e receber textos, fotos, vídeos e arquivos sem qualquer custo adicional. É como o Whatsapp, mas mais seguro. “A ferramenta permite que comuniques de forma segura e anónima: os teus dados e os arquivos que partilhas não são armazenados nem vendidos ou entregues a corporações, instituições, estados, etc.”

De facto, a versão libertária e anti-capitalista da Whatsapp foi posta a funcionar logo depois de mais uma investida policial contra o movimento anarquista, cujos militantes parecem figurar entre as principais prioridades repressivas do Estado. Face a essa situação “SinGuasa” posiciona-se como uma alternativa segura em matéria de comunicações.

Sem subsídios

De qualquer modo, estas não são as únicas novidades da aplicação lançada pelo STSI. Fiel à linha ideológica do anarco-sindicalismo este projecto nasce como um “serviço autogestionado, desenvolvido e mantido por trabalhadores e trabalhadoras das telecomunicações e dos serviços informáticos, sem receber ajudas estatais, de empresas ou de partidos políticos”.

“É, por isso, um serviço confiável, comprometido com a privacidade e a transformação social, que oferece uma alternativa aos meios capitalistas”, sublinham. O STSI define-se como um sindicato anarco-sindicalista “cujos princípios, tácticas e finalidades se baseiam na autogestão, na acção directa, no apoio mútuo, na solidariedade e no federalismo”. O “SinGuasa” caminha nessa direcção.

http://www.publico.es/sociedad/nace-singuasa-whatsapp-libertario-y.html

http://informaticamadrid.cnt.es/

Anúncios

Élisée Reclus: um projecto de globo terrestre para a Exposição Universal de Paris


aaa

aa

Para a Exposição Universal de 1900 em Paris, o geógrafo libertário Élisée Reclus tinha planificado desde 1890 um grande globo da Terra de 127, metros de diâmetro, topografia e batimetria a escala constante, com bibliotecas e salas de conferências incluídas. O edifício que continha o globo devia medir mais de 200 metros de altura. O visitante podia realizar uma viagem de descoberta à volta do mundo num só instante. O projecto não se realizou por problemas económicos (o globo custava o dobro do que custou a Torre Eiffel).

Qual era o propósito de Reclus? Mostrar às pessoas que a Terra é única e indivisível, que não existem hierarquias nela, que as fronteiras entre os países são artificiais e que as guerras são marginais ante a harmonia do mundo natural, do qual o ser humano forma parte. O grande globo terráqueo devia, desta maneira, contribuir para um projecto de emancipação social.

aqui: https://www.facebook.com/libertarios.peru