Dia: Janeiro 27, 2016

(efeméride) Recordar o holocausto para melhor combater a besta totalitária


Mauthasen

Campo de concentração de Mauthausen onde morreram muitos anarquistas espanhóis, fugidos de Espanha depois da vitória do fascismo franquista e que integraram a resistência, sobretudo em França.

auschwitz

Campo de Auschwitz no dia em que as portas foram abertas. O escritor Primo Levi esteve neste campo desde 13 de Dezembro de 1943 até finais de Janeiro de 1945. Os horrores do holocausto estão magistralmente descritos no seu livro “Isto é um homem”

*

Há quem refira que hoje se assinala o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Que o seja. Enquanto anarquistas todos os dias são importantes para alertar para o facto da liberdade não ser um valor seguro e que está constantemente em perigo.

Ao longo dos milénios, a história da humanidade tem sido também a história do horror e da guerra. Embora não se possam esquecer os milhões de mortos e torturados pelos regimes torcionários implantados nos países sob controlo soviético ou chinês, em nome do socialismo (o que os torna ainda mais desprezíveis), este horror ganhou especial amplitude no decorrer do século XX com o holocausto nazi.

(mais…)

(Insubmissão) Anarquistas franceses protestam contra alterações à lei da nacionalidade e pedem que lhes seja retirada a nacionalidade francesa


FA

Um conjunto de anarquistas pede oficialmente ao presidente da república francesa para que lhes seja retirada a nacionalidade

Por iniciativa de alguns militantes da Federação Anarquista Francesa, devido às últimas manipulações politiqueiras de um governo que brinca com o fogo do estado de emergência e da degradação da nacionalidade, uma dezena de pessoas pede para que lhes seja tirada a nacionalidade francesa e exigem ser cidadãos do mundo.

A Federação Anarquista que é, na essência, internacionalista e a-nacionalista, apoia esta iniciativa e apela a que ela se intensifique.

No momento da mundialização económica capitalista, uma outra mundialização é possível. Melhor: ela é necessária!

Federação Anarquista (França)

Aqui o texto do apelo destes companheiros:

(mais…)

(este sábado) No CCL, Círculo de Leituras Anárquicas + Jantar


eco

Este sábado, 30 de Janeiro, pelas 18,45H, no Centro de Cultura Libertária (Cacilhas)

18h45 – O clube aberto de leitura e discussão vai ler e discutir os textos “Da recuperação da miséria e da miséria da recuperação” e “Um circundo para vivermos dentro – Notas sobre a sociedade industrial e a sua tecnologia”, assim como implicações do que neles se diz para uma prática de luta.

O primeiro é uma avalanche crítica sobre as facetas unicamente construtivas do “movimento revolucionário”, o segundo um desenrolar em torno de como agirmos sobre coisas específicas relacionando com o que as envolve. «Nas notas que se seguem tentarei trazer ao de cima algumas relações entre a progressiva perda de autonomia individual e social, a devastação ambiental e o aguçar da repressão. Não de forma a atualizar o interminável catálogo dos horrores e lamentações, mas para refletir sobre algumas possibilidades.», diz-nos o autor desse texto. (aqui, em versão para impressão)

20h30 – Jantar e bar.

https://www.facebook.com/centrodecultura.libertaria.7