(memória libertária) O Movimento Libertário Portuense à Luz do periódico – A Aurora (1910-1919)


BNP_ F2655_2656

Um trabalho universitário de Manuel Carvalho Ferreira Cruz, já de 2012, mas com muito interesse para se conhecer o movimento libertário e operário da cidade do Porto entre 1910-1919.

Abre com uma citação de Elisèe Reclus:

“A historia, por mais longe que remontemos na sucessão das edades, por mais diligentemente que estudemos em volta de nós as sociedades e os povos, civilizados ou barbaros, policiados ou primitivos, a historia diz-nos que toda a obediencia é uma abdicação, que toda a servidão é uma morte antecipada; ella diz-nos tambem que todo o progresso se effeetuou em proporção da liberdade dos individuos, da egualdade e do expontaneo accordo dos cidadãos; que todo o seculo d’invenções e descobrimentos foi um seculo, durante o qual se achava engraquecido pelas rivalidades o poder politico e religioso, e a iniciativa humana pudéra encontrar uma brecha para insinuar-se, como uma tufo d’hervas crescendo atravez das pedras desunidas d’um palacio. As grandes epocas do pensamento e da arte que se seguem com longos intervallos durante o curso dos seculos, a epoca atheniense, as da Renascença e do mundo moderno, tomaram sempre a sua seiva originaria em tempos de lutas incessantemente renovadas e de continua “anarchia”, offerecendo pelo menos aos homens energicos o ensejo de combater pela sua liberdade”. Elisèe Reclus, O que nos diz a História.

Aqui: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/66256

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s