Lobos e chacais. Sobre a matança em Orlando


orlando

por Carlos Solero (*)

Na cidade de Orlando (Florida), Estados Unidos da América, teve lugar uma matança com claro sentido homofóbico.

Este acontecimento desprezível que destrói com total frieza vidas humanas não é uma novidade numa sociedade desigual e violenta como é a da principal potência capitalista do mundo contemporâneo na qual se considera um direito constitucional o porte de armas.

As autoridades estatais falam de um “lobo solitário” referindo-se ao homicida de Orlando, mas é preciso recordar que, ao contrário do que proclamou Thomas Hobbes, os homens não são lobos do homem.

As condições económicas, sociais, políticas e culturais são as que geram relações violentas, estruturas de dominação e de servidão.

Estas questões foram explicadas com total clareza por pensadores como Wilhem Reich, quando se referiu à emergência do fascismo e do nazismo, na dinâmica dialéctica de uma sociedade espoliadora e alienante. Também Erich Fromm, quando assinala como se geram as condições subjectivas nas estruturas objectivas de opressão. E também Herbert Marcuse quando explica que as sociedades de consumo, por baixo da sua fachada democrática escondem o seu aspecto totalitário e compulsivo relativamente às guerras (sempre em nome da paz),  apoiadas em arsenais nucleares que podem aniquilar várias vezes a espécie humana.

Os hierarcas norte-americanos que apoiam a doutrina do “destino manifesto” de fazer a guerra total, além de protagonizarem um contínuo de invasões, bombardeamentos e matanças nos quatro continentes, incitam as populações ao individualismo selvagem e ao uso de armas.

O ódio a tudo o que não se enquadre nos estereótipos patriarcais capitalistas deve ser combatido, conforme estas concepções paranóicas que estão em clara ascenção com figuras como a do magnata Donald Trump.

Não há lobos solitários, os lobos não matam gratuitamente. O que existem são chacais artilhados com camuflados todos iguais que fazem flamejar bandeiras militaristas, expansionistas e mortíferas espalhadas pelo planeta que querem transformar num imenso campo de batalha.

Devemos resistir-lhes em todos os campos, alterando as estruturas de apoio às suas sinistras acções.

12 de Junho de 2016

Rosario, Argentina

(*) Carlos Solero é um referente do anarquismo de Rosario (Argentina). Licenciado em Ciências Politicas, é professo de sociologia há mais de 20 anos na Universidade Nacional de Rosario.

aqui: http://grupogomezrojas.org/2016/06/13/lobos-y-chacales-sobre-la-matanza-en-orlando-por-carlos-solero/

Advertisements

One comment

  1. Nem uma única palavra sobre o Islão, portanto. Tudo culpa dos americanos. Eles são os responsáveis pelo massacre, apesar de o próprio atirador ter prestado lealdade ao Estado Islâmico. É tudo uma farsa, é isso? Uma conspiração da direita sionista….

    O que é preciso agora é o Estado intervir e proíbir o acesso da população americana às armas de fogo. É isso que defendes?

    Em relação ao Islão, que muito conscientemente decidiste não mencionar, deixo aqui este vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=qBlwxqqAprQ

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s