Day: Outubro 22, 2020

(inédito) ‘Mário Castelhano, um esboço biográfico’, escrito no Tarrafal um mês depois da sua morte.


Cartaz a anunciar um colóquio sobre Mário Castelhano em 2010, com Paulo Guimarães e Luís Garcia e Silva, nos 70 anos da sua morte no Tarrafal

Introdução

Este pequeno esboço biográfico de Mário Castelhano, escrito pelo seu amigo e companheiro de lides sindicais e políticas, Manuel Henriques Rijo, é um documento importante, que até hoje nunca tinha sido publicado, embora esteja público, na internet, através do Projecto MOSCA[a].

É um documento importante e notável, em primeiro lugar por trazer à luz do dia uma parte relevante da biografia daquele que foi o último secretário-coordenador da CGT, quando esta já estava na clandestinidade, escrito no Tarrafal poucos dias depois da morte de Mário Castelhano, aos 44 anos, vitima das más condições prisionais e da falta de assistência médica.

No ano em que se assinalam os 80 anos da morte de Mário Castelhano, uma das figuras incontornáveis do anarco-sindicalismo e do anarquismo nas primeiras décadas do século XX, esta edição (acompanhada de fotos, a maioria, do arquivo pessoal de Mário Castelhano, igualmente disponíveis no Projecto MOSCA) é também uma homenagem a um dos homens que esteve na primeira linha na organização da revolta operária do 18 de Janeiro de 1934 contra a fascização dos sindicatos.

Transcrevemos na integra o manuscrito de 30 páginas, ainda que com ligeiras alterações de pontuação e de grafia de algumas palavras. Outras, raras, não conseguimos ler e fazemos referência a esse facto no texto.

No decurso do texto, e no final, acrescentámos algumas notas sobre factos e militantes referidos por Manuel Henriques Rijo.

Esperamos que com esta edição possamos contribuir para um melhor conhecimento de Mário Castelhano e da CGT, cuja acção se desenrolou, em parte, já em tempos de fascismo e de uma violenta repressão que teve, nesses momentos iniciais, o movimento sindical e o anarquismo como principais alvos.

L. B.

20/10/2020

Aqui versão em PDF.

(mais…)