Day: Maio 2, 2022

(Maio de 2022) A Cruz Negra Anarquista de Moscovo atualiza informações sobre a repressão das autoridades russas sobre quem protesta contra a guerra


As possibilidades de protesto na Rússia já eram significativamente limitadas antes da pandemia, e durante os últimos dois anos, desde Março de 2020 até ao ataque russo à Ucrânia, as manifestações de rua foram proibidas com o pretexto da pandemia de Covid. As pessoas fizeram protestos contra a perseguição ao líder da oposição Alexey Navalnyi, e em poucos outros casos, mas estes terminaram em detenções maciças. Mas mesmo assim, havia liberdade de expressão nas redes sociais, alguns meios de comunicação social relativamente livres permaneciam abertos, as autoridades faziam concessões nalguns conflitos locais, tais como a defesa das áreas verdes e contra o desmatamento florestal.

(mais…)

Declaração da iniciativa antiautoritária ucraniana “Operação Solidariedade”


Este texto dos anarquistas ucranianos da Operação Solidariedade, originalmente em inglês, foi traduzido para russo e divulgado pelo sitio avtonom.org com a seguinte introdução:

Traduzimos para russo uma declaração de ativistas antiautoritários ucranianos. O nome da sua iniciativa (“Operação Solidariedade”) é especialmente forte neste 1º de maio. Avtonom.org apoia os camaradas ucranianos e expressa a sua solidariedade para com eles.

*

“Somos uma rede de voluntários antiautoritários da Ucrânia chamada Operação Solidariedade. Entre nós há pessoas com pontos de vista diferentes, mas temos um entendimento comum sobre a agressão russa. Esse entendimento pode ser resumido da seguinte forma: condenamos a invasão da Ucrânia pela Federação Russa e condenamos os chefes do Kremlin que conceberam e lideraram essa invasão.

Como ativistas antiautoritários, juntámo-nos ao movimento de resistência logo no início da guerra. Muitos dos nossos camaradas juntaram-se às unidades de defesa territorial. O nosso objetivo é fornecer-lhes tudo o que precisam bem como ajudar outros necessitados sempre que pudermos.

Muitas pessoas perguntam: por que é que aqueles que durante muitos anos se opuseram sistematicamente ao Estado agora o defendem com armas nas mãos e aceitam equipamentos militares de todo o mundo? Pois bem, estamos unidos pelo entendimento de que esta guerra é um ato imperialista de agressão ao povo. Eis as nossas razões: 

❗️Isto não é “desnazificação” (a palavra favorita do Kremlin). É verdade que na Ucrânia há problemas com a extrema direita. Mas a escala desses problemas é muito exagerada pela propaganda russa que explora e parasita a linguagem e as tradições do antifascismo. A Ucrânia é um país muito mais livre do que a Rússia, que se parece cada vez mais com um regime fascista.

❗️Esta não é uma guerra pela libertação dos ucranianos de língua russa. Neste momento, os combates estão a ocorrer em áreas predominantemente de língua russa, e são os que falam russo as principais vítimas destes atrozes crimes de guerra.. É por isso que os ucranianos não saúdam o exército russo com flores, e, em vez disso, alistam-se na defesa territorial para se encontrarem com os “libertadores” de uma forma completamente diferente daquela que a Rússia afirma.

❗️Esta não é uma guerra entre a Rússia e a NATO. Esta não é uma guerra da NATO contra a Rússia, com a Ucrânia como mero intermediário. Somos críticos do imperialismo ocidental, tão visível noutras partes do mundo. No entanto, é a Rússia – um Estado que tenta impor a sua hegemonia na região – que é responsável por esta guerra em particular. Se a neutralidade da Ucrânia e a expansão da NATO para o Leste fossem as verdadeiras razões da guerra, esta já teria terminado. Ou, talvez, nem sequer teria começado.

❗️Além disso, esta também é a guerra de Putin contra o seu próprio povo. A “operação especial”, tal como o Estado russo exige e a impõe, permitiu ao Kremlin instituir uma ditadura brutal, reprimir manifestações anti-guerra, erradicar todos os meios de comunicação social da oposição, e deixar que muitos cidadãos russos que discordaram do governo abandonassem o país. A Bielorrússia também se encontra na mesma situação. A política russa trata esta repressão sistemática dos dissidentes e da liberdade como um projeto para a hegemonia que pretende estabelecer sobre esta região como um todo.

As ambições imperiais da Rússia fazem com que o preço das suas exigências seja alto demais para que alguém possa concordar com a “paz a qualquer custo”. A submissão às suas exigências levaria inevitavelmente à derrota de todas as forças progressistas regionais. O que um tratado de paz implica depende muito da situação nos campos de batalha. Portanto, apelamos a todos para quem a liberdade, a igualdade, a irmandade e a  fraternidade não são palavras ocas para apoiarem o movimento de resistência na Ucrânia. Há várias maneiras de o fazer, como por exemplo, por:

✊ apoiar diretamente as Forças Armadas da Ucrânia ou a Defesa Territorial;

✊ apoiar movimentos de voluntários e iniciativas humanitárias;

✊ ajudar os refugiados ucranianos;

✊ exigir que os governos de cada país forneçam assistência financeira, humanitária e militar à Ucrânia;

✊ Exigir o cancelamento da dívida externa da Ucrânia – isso será extremamente importante para a reconstrução do país após o fim da guerra.

Finalmente, pode apoiar a Operação Solidariedade. Ao fazê-lo, pode ter a certeza de que o seu apoio ajudará os anti-autoritários que lutam por uma sociedade livre. Uma sociedade livre de preconceitos, desigualdades e agressões.

original aqui: https://t.me/solidarnistinua/223

tradução russa: https://avtonom.org/news/zayavlenie-ot-ukrainskoy-antiavtoritarnoy-iniciativy-operacii-solidarnost