Barcelona

Acto em Barcelona recorda esta sexta-feira os 45 anos do assassinato do anarquista Salvador Puig Antich


puig antich

No dia 2 de Março de 1974 o anarquista catalão Salvador Puig Antich foi garrotado às ordens do Estado Espanhol. Militante do MIL (Movimento Ibérico de Libertação), Puig Antich e os companheiros apoiavam as lutas autónomas dos trabalhadores, recuperando fundos e constituindo-se como um pólo de acção directa contra o regime fascista e capitalista.

Puig Antich foi o último revolucionário a ser condenado à morte através do método do garrote pelo regime de Franco.

45 anos depois a sua memória está viva e foi constituída em Barcelona uma Comisssão que organizou a homenagem que vai ter lugar já esta sexta-feira, dia 1 de Março, e no sábado, 2 de Março.

Na sessão desta sexta-feira, em que participam vários oradores e artistas, vai também  estar presente Francisco Fanhais, actual presidente da direcção da Associação José Afonso.

*

Manifesto

Barcelona 2 de março de 1974 – 2 de março de 2019

“É projectando-nos no futuro, sentindo o peso do presente, que radica a nossa razão de ser” (Salvador Puig Antich, carta à sua irmã Marçona, escrita em Dezembro de 1973 na prisão Modelo de Barcelona)

No dia 2 de Março passam 45 anos da execução de Salvador Puig Antich na prisão modelo de Barcelona. Salvador, um membro do MIL (Movimento Ibérico de Libertação) foi um revolucionário anti-capitalista e libertário que direccionou a sua luta de acção autónoma no sentido da transformação radical da sociedade.

Desde 1974 muitas esperanças colectivas e sonhos foram frustrados e abortados, começando com a grande fraude social e histórica que foi a transição para a democracia herdada da ditadura que perpetua e mantém intacta a estrutura de dominação capitalista .

Ontem, como hoje, negam-nos a possibilidade e a capacidade de sermos nós mesmos, de sermos protagonistas das nossas vidas e da nossa história. Vivemos uma falácia de “liberdade” que apenas nos permite criticar o sistema, mas sem a possibilidade de nada mudar. Face à hegemonia do capitalismo global e corrupto, cada vez mais selvagem e explorador, que se afirma como a única alternativa de organização social e económica, temos que o enfrentar colectivamente através da auto-organização, da autogestão das lutas, da acção directa e da prática anti-autoritária, a fim de conseguirmos novos espaços que permitam desenvolver a alternativa de uma sociedade libertária futura.

O capitalismo global está a gerar uma nova escravidão para um grande número de pessoas que estão condenadas à miséria total, moral e económica. Nos últimos anos, o Estado espanhol tem-se envolvido de forma acelerada na repressão das liberdades e dos direitos fundamentais, e com o aumento de práticas autoritárias e reaccionárias.

Hoje, 45 anos após a sua morte, a sua memória vive em todos aqueles e aquelas que lutam contra a dominação exercida pelo capital e pelos seus lacaios em todas as suas formas. A sua memória, a sua vida imolada, eleva e enobrece esta luta desigual, mas inevitável e irrenunciável, contra as formas de dominação do capitalismo autóctone e global e dos seus servidores, no sentido da nossa verdadeira libertação, individual e social.

Comissão dos 45 anos do assassinato de Puig Antich”

aqui. https://45anys.salvadorpuigantich.info/

relacionado: https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2014/03/02/barcelona-salvador-puig-antich-assassinado-pelo-garrote-vil-ha-40-anos/

https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2013/03/01/2-de-marco-de-74-puig-antich-o-ultimo-anarquista-a-ser-assassinado-pelo-garrote-vil-em-espanha/

https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2016/09/01/nem-deus-nem-senhor-um-poema-de-joao-miguel-fernandes-jorge/

20190302-Recordatori.jpg

Anúncios

(referendo) CGT apresenta pré-aviso de greve geral na Catalunha entre os dias 3 e 9 de Outubro


cgt

O sindicato anarco-sindicalista CGT (Confederação Geral do Trabalho, terceiro maior sindicato de âmbito estatal em Espanha) apresentou hoje o pré-aviso de greve geral na Catalunha em resposta às buscas e às detenções praticadas pelas forças policiais do Estado espanhol na Catalunha relacionadas com o referendo sobre a independência do dia 1 de Outubro. A greve está convocada para sete dias entre 3 e 9 de Outubro.

O pré-aviso, apresentado no Departamento do Trabalho e nas patronais, exige o “fim de todas as práticas que suponham uma violação dos direitos (cívicos e políticos) fundamentais”. Por outro lado, inclui entre os motivos para a convocatória a exigência de que terminem “todas as práticas que não permitam garantir nos locais de trabalho quer a integridade física nas deslocações, quer uma adequada política de segurança e higiene”.

http://www.elperiodico.com/es/economia/20170921/huelga-general-catalunya-referendum-6301311

http://cgt.org.es/noticias-cgt/comunicados/la-cgt-ante-la-represion-desatada-por-el-estado-en-catalunya

A CNT face ao referendo da Catalunha de 1 de Outubro


cnt 1

A CNT face ao 1-O: frente à repressão, defender os direitos e as liberdades

Ante a escalada repressiva que estamos a sofrer depois da convocatória do referendo de autodeterminação na Catalunha do próximo 1 de Outubro, a Confederação Nacional do Trabalho não quer, nem pode, permanecer calada:

  • A CNT sempre se mostrou favorável ao direito à autodeterminação dos povos nos seus acordos tomados em Congresso. Não encontramos razões para repensar a nossa posição no caso do referendo catalão.
  • Os cidadãos da Catalunha devem poder expressar-se em liberdade. O direito a decidir sobre todos os aspectos que afectam as nossas vidas é o pilar de base para a construção de uma sociedade livre e igualitária.
  • A Constituição imposta pelo regime de 78 não pode servir como desculpa para negar a palavra à sociedade ou para quando as reivindicações sociais não agradam aos partidos no poder. A legitimidade, mais do que questionável de uma Constituição imposta em condições de excepção democrática, não é exigida da mesma maneira quando estes mesmos partidos acabam com a saúde universal, destroçam a educação pública, fazem crescer a desigualdade social com as suas políticas neoliberais ou limitam as nossas liberdades fundamentais.
  • A sociedade deve avançar no respeito pelos direitos e liberdades sem ter receio de que a sua luta possa infringir leis injustas. Pelo contrário, historicamente, a desobediência tem sido motor de progresso ao pôr em questão estruturas de poder aparentemente inamoviveis.
  • Por isso, a CNT denunciará e combaterá todos os movimentos repressivos do Estado que tentem coagir ou impedir que o povo, neste caso o catalão, expresse a sua vontade em completa liberdade.

 

#SensePor #SinMiedo

Secretariado Permanente da Confederação Nacional do Trabalho (CNT)

Bilbao a 20/09/2017

aqui: http://www.cnt.es/noticias/cnt-ante-el-1-o-frente-la-represi%C3%B3n-defender-los-derechos-y-libertades

(Barcelona) Activistas voltam hoje a manifestar-se pela reabertura do Banc Expropiat, em Grácia


Manifestações a partir das 19 h em vários bairros de Barcelona e às 20h concentração em Grácia

VOLTAREMOS HOJE AO BANC

Onteontem, dia 23 de Maio, expulsaram El Banc Expropiat, depois de mais de 160 dias de resistencia (mais de 100 durante a primeira campanha e, esta vez, 87 dias). A primeira vez a Cámara decidiu pagar, às escondidas de toda a gente, mais de 65.000€ a Manuel Bravo Solano, propietário do banco. Tentavam evitar um novo Can Vies ante as eleições municipais iminentes, se bem que nessa altura disseram que esse dinheiro era para defender o “valor social” de El Banc. Mais tarde, reconheceram que o seu objectivo era evitar que se rompesse a paz social, a qual para eles equivale a que as pessoas não se queixem. Eles sabiam que a expulsão do Banc comportaria todo tipo de respostas. Isto é o que finalmente aconteceu ontem. Antes de mais nada, queremos agradecer a solidaridade que recebemos de parte de todo tipo de pessoas, que mediante diferentes formas de acção defenderam El Banc, e que o fizeram tanto para este projecto como para todas as outras lutas que existem hoje em dia.

A ráiva que explodiu ontem não é só devida ao Banc, é também devida a todas as detenções que tiveram lugar durante os últimos meses, todos os espaços okupados e libertários registrados, do assassinato de Juan Andrés Benítez que expôs outra vez a impunidade policial.

Entendemos que haja vizinhos que estão chateiados com a situação do bairro e com os danos físicos que sofreram, mas como já dissemos noutras ocasiões, defenderemos o Banc de todas as maneiras possíveis.

Toda as pessoas que viram as cargas policias constatou a violencia policial, que deixou cerca de 50 pessoas feridas, algumas com a cabeça, os joelhos, as mãos ou os braços partidos. Esta é uma outra razão para ficar onde estamos e tentar voltar ao Banc.

Voltaremos ao Banc.

aqui: https://bancexpropiatgracia.wordpress.com/2016/05/24/tornarem-al-banc/

(Lisboa) Solidariedade com os “Títeres desde Abajo”


cel1
cel4

cel2

cel3

Ação do 2º Dia de Solidariedade Internacional com os “Títeres desde abajo”

     Arte não é terrorismo – ‪#‎LibertadTitiriteros‬ !

No dia 5 de Fevereiro foram presos dois marionetistas espanhóis, o grupo “Títeres desde abajo”, pela apresentação de um teatro de rua satírico no Carnaval de Madrid tendo as autoridades considerado o espectáculo “apologia ao terrorismo”, devido à presença de um cartaz “Gora Alka-ETA” que fazia alusão à manipulação policial precisamente sobre este tema.
A detenção de Raúl Garcia e Alfonso Lázaro provocaram uma onda de solidariedade que os libertou, porém recaem sobre eles ainda as acusações de “enaltecimento ao terrorismo” e de “delito às liberdades individuais”, ficaram sem passaporte, e têm de se apresentar periodicamente às autoridades.
Exigimos a absolvição das acusações, sendo que o único “delito às liberdades individuais” presente nesta história é a violação da liberdade de expressão, praticada pelo Estado Espanhol que os condena, e o único terror, suscitado pelo autoritarismo que tenta calar as vozes discordantes.

Comunicado e ação com participação de:

# Associação de Estudantes da Escola Artística António Arroio
# Colectivo Estudantil Libertário de Lisboa
# Ait-sp Lisboa – Núcleo de Lisboa da Secção Portuguesa da Associação Internacional dos Trabalhadores

aqui: https://www.facebook.com/colestlib/

Barcelona amanhece com cartazes contra o ‘Corte Inglês’


1
3

4

5

‪#‎BoicotElCorteInglés‬

Na campanha que a CNT está a levar contra o Corte Inglês por perseguição a grevistas, na sexta-feira de manhã vários mupis no centro de Barcelona apareceram “decorados” com cartazes onde se denuncia a actuação desta empresa – também instalada em Portugal – , com a qual os anarcosindicalistas espanhóis mantêm um braço de ferro há já vários meses.