CLE

(crónica em tempo de selfies) Lá vamos cantando, rindo e votando… (1)


sá

Évora/Não há cão nem gato que não nos queira representar…

Enquanto anarquistas e libertários, determinados na mudança radical da sociedade e na transformação das relações sociais de poder e de produção, pouco nos diz o folclore eleitoral que, de quatro em quatro anos, arrebanha o gado eleitoral para o levar à mesa de voto, encerrando o seu papelinho numa “urna”, ou seja, num lugar destinado a mortos, em que o voto de nada vale porque todo o jogo está já previamente determinado pelos que gerem os cordelinhos do capital e do poder. Se votar mudasse alguma coisa, como sempre disseram os libertários, o voto já estaria proibido.

No entanto, enquanto colectivo sediado em Évora nada do que aqui acontece nos é indiferente, pelo que, após aturada reflexão, decidimos intervir nestas eleições. Não, claro!, apresentando listas ou participando no espectáculo cómico-doentio das eleições autárquicas – que poderiam ser um momento de afirmação do local e das propostas cidadãs, no espírito assembleario do municipalismo libertário, e se tornaram numa caricatura do que mais retrógrado e reaccionário tem o activismo político partidário na sua recorrente afirmação do “vota em mim que sou melhor do que o parceiro do lado”, transformando a vida local num pântano similar ao existente em termos de política nacional, em que os interesses e o modo de vida dos partidos e dos seus dirigentes (grandes, médios e pequenos) se sobrepõem às necessidades e aos interesses das populações em geral.

Para já não falar, claro, da corrupção que é generalizada a um e outro estrato do poder. Seja local ou nacional, a corrupção e o aproveitamento do público pelo privado (seja pessoal, partidário ou de grupo) está distribuído de forma muito iguaitária.

Não! Não iremos intervir desse modo porque isso significaria que também queríamos participar no banquete da representação e do uso e abuso dos bens públicos em proveito próprio ou de grupo e que, mais do que lutarmos por outra sociedade, estaríamos a aproveitar as migalhas que esta proporciona aos que seguem os seus ditames.

Não! Vamos intervir pela palavra e pela análise. Mostrar que aos pequenos reizinhos e rainhitas que se apresentam para o baile nada os diferencia e que bem podiam bailar juntos, sem esta multiplicidade de siglas e slogans; que à violência palavrosa destes períodos eleitorais, outros períodos houve – e outros haverá – em que reina a concórdia e que tudo se resume a uma questão de lugares e de quem está no poder; que de todas estas cabeças brilhantes, todas juntas, não há uma ideia para mudar o mundo e a sociedade, mas, no máximo, como ajudá-la a sobreviver e a ser mais eficaz no seu esforço de rapina e dominação. ´

É tão doce, é tão bom, ouvi-los na oposição e depois quando, nas cadeiras do poder, executam exactamente aquilo que criticavam na gestão anterior…

Fiquemo-nos, então, por este dado que parece sempre tão essencial nos políticos do costume: a renovação. Ou, como dizem, a mudança de políticas. Sabemos que até podiam ser os melhores candidatos do mundo, mas sabemos também que é impossível mudar o sistema por dentro. Mas, então, o que será possível com estes candidatos que se nos apresentam, tudo gente da política, enfeudados aos partidos, cheios de vícios e manhas e, embora a idade neste caso não seja um posto, mais próximos da reforma do que da capacidade de grandes transformações ou mudanças?

Onde é que está a dita e sugerida renovação? Para quê todo este espectáculo de gosto duvidoso?

A CDU segura o seu candidato, profissional político e autárquico, que conseguiu reconquistar Évora para a coligação do PCP consigo próprio há quatro anos: Carlos Pinto Sá, 59 anos, presidente de Câmara desde 1993 (Montemor, depois Évora);

O PS, depois do descalabro e da derrota há quatro anos, avança com Elsa Teigão, 50 anos, professora e líder da concelhia, tentando recuperar o terreno perdido;

O PSD, com apenas um vereador na Câmara, aposta num seu actual deputado, António Costa e Silva, de 49 anos;

O Bloco de Esquerda, sem qualquer vereador, insiste em Maria Helena Figueiredo, 62 anos, enquanto o CDS, que nunca teve qualquer eleito nos órgãos autárquicos do concelho, avança com Pedro d’Orey Manoel, de 48 anos, só para fazer número.

Admito que já estejam a bocejar. E ainda não chegaram as propostas de cada um deles. Talvez sejam menos ambiciosas que as 20 estações de metro da Cristas para Lisboa, mas haverá promessas para todos os gostos. Daqui até finais de Setembro é época de caça eleitoral.

Cidadão eleitor não te distraias. Se te apanham desprevenido, seja na Praça do Geraldo, junto ao mercado ou mesmo numa travessa suburbana, não há beijo, aperto de mão ou selfie de que possas escapar! E nem imagino o que vai ser a Feira este ano…

De tudo isso iremos dando notícia.

luís bernardes

Anúncios

(a 28 e 29 de Maio) Encontro Libertário de Évora


cartaz encontro1

PROGRAMA

SÁBADO, DIA 28 de MAIO

9,30H -10,45H –

Abertura do Encontro –

Período reservado a uma apresentação e auto-reflexão sobre a situação das organizações/colectivos/indíviduos presentes –

moderação e apresentação: Carlos/Portal Anarquista

11H-12,15H –

A situação económica e social do país e da europa; apresentação e debate

moderação e apresentação: Vitor Lima/Indignados Lisboa

12,30H-13,30H –

A dupla destruição da memória anarquista em Portugal –

moderação e apresentação: Paulo Guimarães/Projecto Mosca

13,30H às 15H –pausa para almoço

15H-16,15H –

Utopias rurais, decrescimento e municipalismo libertário – 

moderação e apresentação: Júlio Henriques/Flauta de Luz

16,30H – 17,45H

Cultura, Arte e Criação numa perspectiva libertária

moderação e apresentação: António Cândido Franco/A Ideia

18,00H às 19,30H –

A educação libertária

 apresentação e debate (a anunciar) 

19,30H- 21H – Pausa para Jantar

21H-22 H –

Conferência: tema a escolher posteriormente

22H-24H Convívio. Música/poesia 

*

DOMINGO, DIA 29 de MAIO

 9H às 10,15H –

O anarquismo no Estado Espanhol no último ciclo de lutas (2011-2015) – 

moderação e apresentação: companheiro do Apoyo Mútuo/Espanha

10,30H às 11,45H –

Anarco-sindicalismo e instrumentos de luta –

moderação e apresentação: companheiro da AIT/SP

12H-13H –

A necessidade de informação libertária e de criação de espaços comunicacionais alternativos –

moderação e apresentação: Guilherme Luz/ Jornal Mapa

13H-15H – Pausa para Almoço

15H – 18H –

Debate final

moderação e apresentação: Mário Rui 

# possibilidade de coordenar campanhas e iniciativas;

# criação de um instrumento de ligação entre as diversas organizações/espaços/ indivíduos anarquistas em Portugal;

#marcação de um novo encontro

#Leitura e aprovação das conclusões do Encontro Libertário de Évora’2016

(todos os participantes poderão intervir e debater cada um dos temas. O moderador servirá apenas para introduzir o tema, moderar a mesa e extrair algumas conclusões do debate que possam integrar as conclusões gerais do encontro)

Organização

Revista “A Ideia”

Projecto Mosca

Portal Anarquista

inscrições para o email: colectivolibertarioevora@gmail.com

programa, regulamento, etc: https://encontrolibertarioevora2016.wordpress.com

aa

Em Évora: colectivos libertários de Portugal e Espanha estreitam relações


Encontros libertários de Madrid e Évora com agendas similares e coordenados cronologicamente

Nos próximos dias 20, 21 e 22 de Maio vai ter lugar na Escola Popular La Prospe de Madrid um encontro, a nível do Estado Espanhol, de iniciativas libertárias convocado por La Apuesta Directa. Este encontro, que se realiza uma semana antes do Encontro Libertário de Évora foi coordenado, em termos de datas, para não coincidir cronologicamente com a reunião convocada para o fim-de-semana seguinte, 28 e 29 de Maio, no Alentejo, e pelo menos dois companheiros que estão ligados ao encontro de Madrid irão estar em Évora, trazendo-nos também alguns elementos e conclusões dos debates havidos nesta iniciativa.

Na sua convocatória, os companheiros de Madrid referem que: “activistas de diferentes sectores, conscientes da necessidade imperiosa e do crescente interesse existente por encontrar pontos de colaboração entre estes diversos grupos, colectivos e indivíduos que se movem à margem das propostas de colaboração institucional ou eleitoralistas (todas elas de curto prazo) fazemos um apelo para um encontro estatal onde possam ser debatidas as possibilidades de confluência e/ou coordenação.”

O programa detalhado da reunião de Madrid pode ser consultado aqui.

Os companheiros do Estado espanhol referem que “para além disto, consideramos que este encontro, tal como o Encontro Libertário de Évora, o de Municipalismo Libertário/Ecologia Social de Lyon (França), os seminários de Confederalismo Democrático que começam a ter lugar no Estado Espanhol, os já realizados encontros de Democracia Sem Estado ou as contínuas Jornadas de Economia Social e Cooperativa são um exemplo de que a alternativa libertária (que não passa pelas instituições da burguesia e que procura criar as suas próprias) está mais viva que nunca e que está em processo de reformulação e de organização”.

O Encontro Libertário de Évora, convocado pela revista Ideia, Projecto Mosca e Portal Anarquista realiza-se nos dias 28 e 29 de Maio. Conta já com mais de 50 inscrições, vindas na sua grande maioria de Portugal, embora de Espanha também nos estejam a chegar algumas inscrições, nomeadamente de participantes no Encontro Libertário de Madrid e também de Carlos Taibo que há precisamente um ano esteve em Évora e em Lisboa, a convite do Portal Anarquista.

(inscreve-te!) A três semanas do encontro libertário de évora


aa

Se és anarquista e estás interessado em debater as questões do movimento libertário em Portugal, inscreve-te!

A três semanas da realização em Évora do Encontro Libertário convocado pela revista A Ideia, o Projecto MOSCA e o Portal Anarquista, e já com mais de 50 inscrições, o programa proposto pode ser consultado em https://goo.gl/wCaudc |

Outras indicações (funcionamento, logistica e Ficha de Inscrição em https://encontrolibertarioevora2016.wordpress.com/)

Todos os contactos para colectivolibertarioevora@gmail.com

O local do encontro será comunicado após envio da ficha de inscrição.

(Encontro) Proposta de encontro libertário em Évora durante o ano de 2016


mãos anarquistas

# 1

Divulgação de projecto/ideia para a realização de um encontro libertário em Évora no próximo ano dirigido a todos os grupos, colectivos, organizações e individualidades que se movimentam na região portuguesa.

Num momento de grande renovação a nível mundial do ideário e da praxis libertária, Portugal, que teve na década de 20/30 do século passado um forte movimento anarquista e anarco-sindicalista, não pode passar ao lado deste movimento que tem expressões organizativas diversas um pouco por todo o globo.

Sendo assim, estamos a construir as plataformas necessárias para realizar durante o ano de 2016 um grande encontro libertário da região portuguesa em Évora (ou em local a designar na região sul).

Neste encontro poderão participar organizações existentes, colectivos, grupos temáticos, publicações, espaços de pesquisa e investigação, colectivos de género e especifistas,  individualidades… desde que tenham entre si o espaço libertário como aglutinador.

Pretende-se através de mesas de trabalho criar a possibilidade de estabelecer uma plataforma mínima de trabalho e relacionamento em comum, desde campanhas conjuntas a uma comissão de relações inter-colectivos que consiga manter os contactos inter-grupos e dinamizar acções conjuntas.

Este é um primeiro apelo a este encontro, que terá que ser construído e protagonizado pelos diversos colectivos.

Esperamos contributos e ideias através do email  colectivolibertarioevora@gmail.com  para desenvolvermos as temáticas em discussão e o formato das sessões. Agradecíamos também o envio de sugestões sobre a melhor data para realizar este encontro.

Todos os contributos existentes, desde já, poderão ajudar a formular um encontro mais eficaz e que vá mais ao encontro das necessidades e dos desejos de todos nós.

Esperamos os vossos contributos.

Comissão Organizadora do Encontro Libertário Évora/2016

200 anos do nascimento de M. Bakunin assinalados em Évora


debate

Conforme anunciado realizou-se ao fim da tarde desta sexta-feira na Livraria Fonte de Letras, em Évora, um animado debate sobre o pensamento de Mikhail Bakunin, para assinalar os 200 anos do nascimento do revolucionário russo, cujas ideias tanto marcaram o movimento libertário mundial. Com uma dezena e meia de assistentes, o debate foi introduzido por António Baião, investigador da FCSH da Universidade Nova de Lisboa (na foto, à direita, ao lado de António Cândido Franco), que falou de ““Mikhail Bakunin: Liberdade, Natureza e Revolução”. Seguiu-se um debate sobre a natureza do Estado e o conceito de liberdade bakuninista, tendo esta primeira Conferência Libertária de Évora terminado por volta das 20,30h. Para Julho já está anunciada uma segunda Conferência Libertária, em local e dia a designar, sobre a figura do anarquista alentejano Gonçalves Correia. A sessão de hoje foi gravada e contamos disponibilizar alguns excertos aqui no Portal Anarquista dentro de alguns dias.

(Covilhã) Conferência sobre Pensamento Libertário no próximo dia 27 de Março


conferênciaclique para aumentar

No próximo dia 27 de Março, a partir das 10H15, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UBI (anfiteatro 7.21), terá lugar a conferência “Pensamento Libertário: Passado, Presente e Futuro”.
Além disso, estarão disponíveis para venda, no anfiteatro e durante todo o dia, um conjunto de obras dedicadas ao pensamento libertário, disponibilizadas pela Livraria Letra Livre.

10H15: SESSÃO DE ABERTURA;

10H30: BIBLIOGRAFIA LIBERTÁRIA E CULTURA OPERÁRIA EM PORTUGAL (1890-1936), Eduardo de Sousa, livreiro;

11H00: MIKHAIL BAKUNIN E A CONCEPÇÃO ANARQUISTA DE LIBERDADE, António Baião, bolseiro de investigação do SLHI;

11H30: BIBLIOGRAFIA LIBERTÁRIA DE LÍNGUA PORTUGUESA, Adelaide Gonçalves, docente da Universidade Federal de Ceará.

12H00: Espaço de Debate.

14H00: ESTADO E ANARQUISMO EM PORTUGAL (1890-1934), Diogo Duarte, doutorando da FCSH-UNL;

14H30: TEATRO E ANARQUISMO NO SÉCULO XX PORTUGUÊS, Cláudia Figueiredo, doutoranda da FCSH-UNL;

15H00: APRESENTAÇÃO DA REVISTA “A IDEIA”: 40 ANOS PASSADOS E O FUTURO, António Cândido Franco, docente na Universidade de Évora;

15H30: OS 150 ANOS DA INTERNACIONAL, Paulo Guimarães, docente na Universidade de Évora;

16H00: Espaço de Debate;

16H15: Movimentos de acção e organização militante: AIT/SOV e Portal Anarquista de Évora;

17H15: Espaço de Debate;

17H30: ENCERRAMENTO DO EVENTO

( entrada livre).

aqui: https://www.ubi.pt/Noticia.aspx?id=4568

https://www.facebook.com/events/1392451014359739