livro

Novo livro de Carlos Taibo “O penálti de Djukić” é apresentado este sábado em Pontevedra (Galiza)


penalti

Talvez nunca tenhamos escrito sobre futebol aqui no Portal Anarquista (à excepção da COPA do Mundo no Brasil e das polémicas e protestos que a envolveram), mas vamos agora abrir uma excepção para o mais recente livro de Carlos Taibo, escritor, professor universitário em ciência política, assumidamente libertário e que já, mais do que uma vez, nos honrou com a sua visita aqui em Évora. Há algum tempo publicou “Colapso”, um livro em que defende que a degradação ambiental, a vertigem do consumo, o crescimento sem rei nem roque, os antagonismos crescentes entre ricos e pobres estão a levar a humanidade ao colapso, o que poderá ser benéfico se o soubermos aproveitar em termos de uma  mudança radical da sociedade em que vivemos. Agora Carlos Taibo publica “O penálti de Djukić”, um livro que o autor, confesso adepto do Desportivo da Corunha, centra no mundo do futebol e em que um dos personagens é um professor lisboeta adepto do clube galego. Em 1994, o sérvio Djukic, ao serviço do Desportivo, falhou um penalti contra o Valência que poderia ter dado à sua equipa a vitória na Liga Espanhola. Este livro de Carlos Taibo tem como pretexto esse golo falhado. O escritor foi entrevistado por Victor Giadás, da Através Editora, que publica o livro. A entrevista. que reproduzimos, foi feita na integra em galego, na sua variante portuguesa. O livro chegou às livrarias esta sexta feira, e pode ser pedido também em Através loja on-line.

(mais…)

Gonçalves Correia: “A Felicidade de Todos os Seres na Sociedade Futura”


Capturar

Para ler em pdf: http://mosca-servidor.xdi.uevora.pt/projecto/components/com_library/texts/42_BNP_AHS424.pdf

Numa altura em que tanto se discutem os “direitos” dos animais e a necessidade de serem poupados à tortura e ao sofrimento, convém relembrar o texto da conferência produzida em 1922, em Évora, no Teatro Garcia de Resende, no quadro do V Congresso dos Trabalhadores Rurais pelo anarquista Gonçalves Correia. Este anarquista alentejano foi um dos fundadores da Comuna da Luz, nas Fornalhas Velhas, onde o regime alimentar era essencialmente vegetariano e crudívoro. Nesta conferência subordinada ao tema “A Felicidade de Todos os Seres na Sociedade Futura”, Gonçalves Correia defende o fim  da propriedade privada e da exploração quer do homem pelo homem, quer do animal pelo homem, entrando a humanidade numa nova era em que todos os seres serão tratados de forma digna e sem serem violentados.

“A sociedade futura, sem propriedade individual, que será de todos, como o sol, como a lua, como o próprio ar, inundará o mundo de ternas, de quentes alegrias. O ódio, que é filho do egoísmo e do erro, dará lugar à estima de todos, que deixarão de se guerrearem como inimigos, para se estimarem como irmãos!

O próprio irracional não terá, como o boi simpático e paciente, olhos mortiços, o corpo cansado e esquelético. Compreenderá o homem, enfim, que ser rei dos animais não significa ter o direito à sua tortura. Os próprios irracionais terão lugar no grande banquete da vida, inundando-se a terra de pura, de generosa alegria!”

Para ler e, sobretudo, para perceber a importância desta conferência num Congresso de Trabalhadores Rurais, em 1922, alertando para a necessidade de um novo tempo de igualdade e de solidariedade entre todos os seres viventes, pondo fim à exploração e à opressão.

Algo bem diferente daquilo que ainda hoje se passa com alguns “animalistas”, que se levantam em defesa dos direitos dos animais, mas que se calam bem caladinhos, quando estão em causa a opressão e a exploração de quem trabalha por conta de outrem.

(Lisboa) Feira Anarquista do Livro nos dias 24 e 25 de Setembro


fera

Olá pessoal!
Talvez já saibam ou talvez não mas no último fim de semana de Setembro, 24 e 25, realizar-se-á a Feira Anarquista do Livro de Lisboa. A intenção é saltar para a rua, na zona da Penha de França, perto da BOESG/Disgraça, espaço que será utilizado para logística diversa e para almoços, jantares e concertos.
Como nos anos anteriores, sejam os seis da Feria do Livro Anarquista ou os dois da Mostra de Edições Subversivas, voltamos a convidar-vos para que participem com as vossas editoras, distribuidoras, ou colectivos. Qualquer pergunta que tenham enviem-nos email para: feiranarquistadolivro@riseup.net.
Um grande abraço!

Feira Anarquista do Livro 2016

Feira Anarquista do Livro 2016


feira do livro

Lisboa, 24 e 25 de Setembro.

“Em todos os sítios onde os civilizados apareceram pela primeira vez, foram sempre considerados pelos indígenas como seres nocivos, fantasmas, espectros. Nunca como seres vivos!
Intuiçao insuperável, profética perspicácia, se ainda se pode dizer.”
E. Cioran

A tragédia talvez tenha começado com o advento da humanidade, mas nunca como agora a vida esteve tão encurralada e acorrentada. Os ventos já não mudam nada, as utopias sociais estão completamente mortas, os novos messias da democracia caem muito antes de poderem sequer indicar o caminho da salvação… e os dominados e dominadas? Esses resignam-se cada vez mais à sua condição de rebanho, o progresso tecnológico condiciona-os como nunca e nada nesta história nos faz esperar um final feliz. Sabemos que tudo isto vai acabar muito mal e, por isso, alguns e algumas já não temos nada a perder: decidimos agarrar a vida com os dentes e os punhos fechados, porque o sangue ainda nos queima as veias! E é assim que insistimos em mais uma Feira Anarquista do Livro, porque ainda nos interessa propagar a palavra dos/as rebeldes, dos criminosos e das criminosas, dos conspiradores e das conspiradoras, e porque insisitimos em manter vivas memórias e saberes dos quais nos tentam, a todo o custo, tornar órfãos, porque sabemos que desisitir já não é uma opção, encostaram-nos ao abismo e só nos resta resistir…

E depois de dois anos de Mostra de Edições Subversivas optámos por recuperar um nome já velho (com uma pequena mudança na ordem das palavras, sempre traiçoeiras), e não, não nos pusemos nostálgicos, mas nestes dias em que a anarquia volta a ser o crime que contém todos os crimes, com a repressão a golpear grupos e indivíduos em todo o globo (Espanha, República Checa, França, Grécia, Chile, etc.), decidimos que esta palavra não está vazia, carrega às suas costas séculos de uivos que gritam “Não!”

E como um fungo especialmente teimoso, aqui estamos e aqui continuaremos…

Se queres participar ou colaborar na Feira Anarquista do Livro, contacta-nos através do email: feiranarquistadolivro@riseup.net