pedagogia libertária

(pedagogia libertária) Vídeo sobre a ‘Escola Moderna’ com legendas em português


 .
O documentário ‘Viva a Escola Moderna’, narra a aventura pessoal e educacional empreendida pelo pedagogo anarquista Francisco Ferrer y Guardia, no começo do século XX, para fundar a Escola Moderna de Barcelona, uma escola em que o respeito à vontade e aos direitos das crianças eram o centro do processo educativo.
 .
Através de imagens actuais e de arquivo, o documentário reconstrói a vida de Francisco Ferrer y Guardia, a sua formação ideológica, a construção das bases para a criação da escola, laica e racional, e os diversos embates que teve de afrontar para levar adiante a sua obra pedagógica.
 .
As legendas em português foram feitas pela Biblioteca Terra Livre.

(Lisboa) A Escola-Oficina n.1 da Graça e a pedagogia libertária


escola-operaria

A Escola-Oficina nº 1 da Graça (encerrada definitivamente em 1987), onde andaram nomes sonantes do anarquismo e do anarco-sindicalismo, como Emídio Santana, tinha como método de ensino a pedagogia libertária de Francisco Ferrer e as experiências libertárias da escola moderna. Um ensino que juntava as componentes teórica e prática e em que a sanção era substituída pelo estímulo e pela experimentação. A vertente libertária foi sempre mais relevante do que a maçónica, que foi importante no projecto inicial, mas cuja definição pedagógica foi, sobretudo, libertária.

Sobre esta escola-oficina refere Viriato Porto (em comentário ao post de José Maltez, onde este afirma que: A colaboração entre libertários e maçons produziu a Escola-Oficina nº 1. No Largo da Graça. Um bom exemplo de ideais progressivos e práticos. Faz parte do meu currículo ter sido membro da direção da instituição, ainda hoje existente.):

“Por outras palavras, para quem não saiba, tratava-se da educação anarquista na Escola-oficina nº1 com métodos libertários e de educação integral. Existiu uma luta surda pelo controlo pedagógico da Escola entre os directores, na sua maioria, e excepção feita a Luís da Matta, Maçons e Republicanos, e os professores, que liderados por Adolfo Lima, com o precioso apoio de Luís da Matta, são sobretudo Anarquistas.Por modelo educativo libertário, entendemos nós, uma síntese entre os conceitos metodológicos e pedagógicos da educação nova do princípio do século, e os planos educativos de tradição socialista que vêem na educação integral uma forma de combater a desigualdade social traduzida pela existência desde sempre nos sistemas educativos ocidentais de vias profissionais por um lado, e académicas por outro. Da educação nova, os libertários aproveitarão o rigor no estudo do desenvolvimento físico e intelectual da criança e a necessidade de na base dos processos educativos existirem motivações «naturais» da criança incompatíveis com a repressão física e intelectual; da tradição socialista de educação (ver entre outros, Dietrich, 1973) os anarquistas salientarão a necessidade de os processos educativos serem o mais globais possíveis, juntando os aspectos técnicos e de aprendizagem profissional, com os aspectos científicos,artísticos e culturais característicos de uma «boa educação tradicional».”

Sobre os métodos pedagógicos da escola-oficina e a sua história – http://repositorio.ispa.pt/…/10400.12/1694/1/AP%202(3)%2032…
http://gremioestreladalva.blogspot.pt/2012/11/uma-instituicao-paramaconica-escola.html
https://www.facebook.com/escola.oficina.1/

(no aniversário da morte de Francisco Ferrer) Viva a Escola Moderna!


fuzilamento-de-ferrer

Barcelona, 13 October 1909. (Flavio Costantini, 1965. Tempera, 50 x 64 cm)

As ideias de Ferrer Guardia, fuzilado em 1909, foram o início do desenvolvimento de uma pedagogia do livre pensamento.

Julián Vadillo , historiador

A 13 de Outubro de 1909 era fuzilado nos fossos do castelo de Montjuic, o pedagogo libertário Francisco Ferrer Guardia. Tinha sido acusado, julgado e condenado como sendo o instigador dos acontecimentos ocorridos em Barcelona entre 26 de Julho e  2 de Agosto desse mesmo ano, no que ficou conhecido como a Semana Trágica de Barcelona. Não era a primeira vez que Ferrer enfrentava um tribunal, acusado de algo que não tinha cometido. A diferença com as ocasiões anteriores foi que, em Outubro de 1909, o objectivo cumpriu-se: fuzilar Ferrer.

Mas quem era esse Ferrer Guardia que alguns sectores da sociedade espanhola tanto odiavam? Que tinha feito Ferrer para que o seu destino fossem os fossos do temido castelo de Montjuic?

(mais…)

(Mérida) ‘XIII Curso de Pedagogia Libertaria’, de 2 a 6 de Setembro


paideia-1

Uma das finalidades do curso é dar a conhecer como funciona a escola Paideia e por isso será eminentemente prático.

Durante estes dias tentaremos levar à prática a ética da Anarquia, vivendo os valores da Igualdade, da Solidariedade, da Ajuda Mútua e da Liberdade.

Cada pessoa constitui uma possibilidade infinita de criação vital seja para ela, seja para a liberdade. Por isso, tod@s   somos nalgum momento mestr@s e noutr@s aprendiz@s.

Cada qual aporta o que é, o que conhece, os seus gostos, a sua forma única de fazer o mundo. E entre tod@s aproximamo-nos de uma vivência mais anárquica, mais livre e feliz.

A experiência destes anos diz-nos que ainda que sejam poucos dias, a intensidade dos mesmos rompe um pouco a linha do tempo.

O grupo que se formar, com as indicações que serão dadas no início da actividade, autogestionará estes dias, tal e qual como se faz na escola com uma assembleia geral que começará pelas 10 da manhã, na qual a diversidade de pessoas que ali se reúna deve pôr-se de acordo para decidir como e de que maneira se reparte o tempo: horário, actividades, tempo de debate, assembleia geral, trabalhos de cozinha, limpeza e actividades de carácter manual, etc.

Devemos ter em conta que uma das bases prioritárias da escola da anarquia é a igualdade: igualdade no trabalho, não discriminando entre trabalho intelectual e manual, igualdade de géneros, igualdade de classes, com a aceitação da diversidade que caracteriza qualquer grupo humano. A máxima que nos acompanha é a: ‘De cada um segundo as suas possibilidades, a cada um segundo as suas necessidades’.

Por outro lado, o curso pretende aproximar-se da educação libertária e da sua ideologia. O que pretendemos é mostrar como funciona esta escola livre, já que cada escola livre é diferente nas suas dinâmicas educativas.

Não existe um programa pré-estabelecido. A assembleia geral é que o vai definir.

O preço do curso é de 220 euros, que inclui a matrícula, pequeno-almoço, almoço, merenda e material. Os lucros que resultarem deste curso servirão para ajudar economicamente a escola, que é sempre deficitária.

As pessoas que desejem realizar o curso deverão preencher a ficha de inscrição (aqui) e enviá-la por email para info@paideiaescuelalibre.org.

Uma vez recebida a ficha de inscrição remeteremos por email o número de conta da escola para que façam o pagamento da reserva de lugar  que é de 40 euros. O restante, até ao total de 220 euros deverá ser pago antes do dia 20 de Junho.

Por favor, não se esqueçam de colocar o nome da pessoas que assistirá ao curso quando fizerem o pagamento, para podermos fazer a lista definitiva.

No caso do pagamento não ser feito, consideramos que não desejam participar no curso e esses lugares serão dados a pessoas que estejam na lista de espera.

Saudações libertárias.

Colectivo Paideia.

aqui: http://www.paideiaescuelalibre.org/portada/94-xiii-curso-de-pedagogia-libertaria.html