Mês: Outubro 2015

(Lisboa) Apresentação hoje na Disgraça do nº 3 da revista “Flauta de Luz”


flauta
.

Apresentação do Boletim de Topografia “Flauta de Luz”

pelo seu editor, Júlio Henriques
 
Dia 30 de Outubro (sexta-feira) pelas 20h na Disgraça
O fio condutor deste 3º boletim é o relacionamento crítico entre a tecnologia como configuração totalitária do capitalismo e a presença futurível das culturas ditas arcaicas de base comunizante.
Este número procede a abordagens dos progressos do capitalismo em vários âmbitos:
– sócio-histórico (movimento social revolucionário de 1974-75 e consequências da sua derrota, evolução do trabalho assalariado como expressão de submissão, sintoma de patologia e indicador de revolta), formas lúdicas da alienação contemporâneo no desporto;
– antropológico (a anarquia e o sagrado, negação do genocídio nos Estados Unidos, cosmogonia índia),
– ecologia radical (filosofia ambiental, direitos da natureza).
Inclui ainda uma pequena antologia de poesia ameríndia, outros poemas, textos sobre cinema e sobre livros, e um inédito de Albert Cossery.
A apresentação será precedida de um delicioso jantar vegano!
.
Disgraça
Rua da Penha de França, 217 A/B, Lisboa (metro: Anjos)
Anúncios

(Prisões na Catalunha) O movimento libertário acusa o Estado espanhol de “actuar contra as ideias” anarquistas


sants

Os movimentos libertários denunciam uma “operação política” por detrás das prisões e buscas do caso Pandora, que esta quarta-feira viveu um novo episódio com a detenção de mais 9 pessoas acusadas de pertencerem a organizações “com fins terroristas”. Numa conferência de imprensa, esta tarde, os colectivos anarquistas e as entidades que os apoiam, acusaram os Mossos de actuarem “contra as ideias e contra um movimento político”, com o objectivo de destrui-los à força de os relacionarem, asseguram, com o conceito de “terrorismo” sem a imputação de factos concretos.

 “Só levaram material político”, disse o porta-voz do movimento libertário, de nome Llibert. Entre as apreensões estarão livros, revistas, computadores, sprays e bandeiras. “Há anos que a polícia se esforça por ligar o anarquismo à violência, mas não conseguem: somos espaços de construção e defesa do direito à habitação, dos direitos laborais ou contra a violência sexista”, declarou Llibert aos jornalistas, acompanhado de uma trintena de pessoas.

O caso Pandora , nas suas duas fases – ontem e no mês de Dezembro passado – acumula já 20 detenções. Os nove detidos de ontem – de colectivos como Acció Libertària (de Sants), Procés EMBAT ou Elissa – foram levados para a Audiência Nacional e está previsto que prestem amanhã declarações. No caso dos 11 presos de há quase um ano, sete deles estiveram em prisão preventiva durante mês e meio, mas já se encontram em liberdade. O processo, segundo os advogados, está parado há meses.

Os advogados de defesa consideram que “se ultrapassou uma linha vermelha” ao serem utilizadas ferramentas de “excepção penal”, em referência à legislação antiterrorista contra movimentos sociais críticos. Durante a conferência de imprensa, Andrès Garcia, advogado de três dos detidos, convidava o Colégio de Advogados, Juízes e Fiscais a fazer uma reflexão sobre “o uso extensivo” destas ferramentas penais e da palavra “terrorista”.

Nas detenções do mês de Dezembro a defesa já criticava o facto das decisões judiciais não serem capazes de relacionar os factos denunciados – como a colocação de um artefacto explosivo na Catedral de Almudena em 2013 ou atentados contra sucursais a bancos – com nenhum  dos detidos em concreto.

Aqui: http://www.eldiario.es/catalunyaplural/moviment-llibertari-politica-detencions-Pandora_0_446555565.html

https://directa.cat/actualitat/si-terrorisme-es-donar-suport-als-que-pateixen-problemes-dhabitatge-som-terrorisme

http://www.vilaweb.cat/noticies/les-entitats-anarquistes-si-terrorisme-vol-dir-fer-activitats-obertes-i-lluitar-per-a-lhabitatge-digne-som-terrorisme-2/

http://www.btv.cat/btvnoticies/2015/10/29/suport-anarquistes-operacio-ideologica/

(Curdistão) 1 de Novembro: Dia Mundial por Kobane!


foto

(foto do jornalista da Antena 1, José Manuel Rosendo)

A 1 de Novembro assinala-se o Dia Global para a Liberdade e a Reconstrução de Kobane. É o Dia Mundial por Kobane !! A nossa solidariedade serve também para demonstrar o quanto Kobane ajudou a fazer um mundo melhor para todos nós.

No ano passado, na mesma data, tiveram lugar em todo o mundo centenas de comícios, manifestações e iniciativas para demonstrar o apoio internacional para com Kobane e com o seu povo, numa altura em que os mais violentos países da região, incluindo a Turquia, o Iraque, o regime islâmico do Irão e outros ditadores, nada estavam a fazer para evitar a catástrofe causada pelo ISIS, pelos seus criadores e pelos seus apoiantes.

Vários meses depois do pior do cerco à cidade, a ajuda humanitária continua a estar impedida de entrar na cidade e as pessoas necessitam urgentemente de medicamentos básicos, alimentos e roupa.

A população do Curdistão sírio, a região curda libertada no norte da Síria, liderada pelos grupos revolucionários curdos tem conseguido manter o seu território apesar das sucessivas ofensivas do Estado Islâmico, incluindo vários ataques a Kobane.

Está na hora de ajudarmos Kobane e de demonstrarmos a nossa solidariedade com os que estão a lutar para que exista uma sociedade livre, democrática e pacífica.

Reconstruir Kobane significa reconstruir a cidade que celebra a nossa humanidade em comum.

Apoia a resistência de Kobane – contra o Estado Islâmico e pela Humanidade.

A nossa vingança será o sorriso das gerações futuras …

Viva a Revolução em Rojava!

aqui: https://www.facebook.com/AnarchismandRojava

(Catalunha) CNT solidária com os 9 anarquistas presos esta manhã em Barcelona e em Manresa


barcelona

Comunicado da CNT da Catalunha sobre o novo ataque ao movimento libertário

Esta manhã tivemos a notícia lamentável de que o Estado, por meio da audiência Nacional e dos Mossos d’Esquadra, voltou a perpetrar uma série de buscas a locais e apartamentos, bem como à detenção de activistas libertários em Barcelona e Manresa, um dos quais – pelo menos, de que temos provas até agora – é filiado nesta organização.

Uma actuação que não podemos qualificar de outra forma senão de repressão ao movimento libertário, dando continuidade a uma estratégia jurídica e policial que já resultou em várias prisões de anarquistas nos últimos meses. Estamos a falar da operação Pandora e da operação Piñata.

Do Secretariado Permanente do Comité Regional da Catalunha e Baleares da CNT-AIT, condenamos a actuação do aparelho repressivo do Estado e solidarizamo-nos com todos os presos, bem como com os seus familiares e amigos. Apelamos à participação de toda a população nas acções de apoio que venham a acontecer e a continuar a reforçar a luta social, através da solidariedade, da ajuda mútua e da auto-organização, porque essa é a melhor arma contra os inimigos do povo organizado.

Secretariado Permanente

Comité Regional da CNT Catalunya i Balears

aqui: https://www.facebook.com/lasolidaridad.obrera/photos/a.855680434545973.1073741828.854754614638555/867816633332353/?type=3&theater